Financiários destacam suas principais reivindicações à Fenacrefi

59

Começaram no dia 21/8, as negociações da Campanha Salarial dos Financiários. Durante a reunião, a Contraf-CUT destacou para os representantes das empresas as prioridades da pauta de reivindicações, entregue há um mês.


A pauta dos financiários contém 91 artigos. Foram destacadas as 30 prioridades na 1ª rodada de negociações, entre elas o enquadramento dos trabalhadores da categoria, a PLR, o fim do assédio moral e das metas, a assistência média e odontológica e o pagamento de todas as horas extras. As empresas ficaram de analisar e a nova rodada de negociações foi marcada para o dia 11/9.


Os representantes dos financiários também destacaram para a Fenacrefi que a federação patronal tem todas as condições de atender às reivindicações. Por trás de toda financeira há um banco, estes que são campeões em ganhar dinheiro no Brasil. Um dia antes das negociações, o banco Pan-americano, que integra a mesa da Fenacrefi, anunciou seu balanço do semestre passado com um aumento de 171% na lucratividade. No mesmo período do ano passado ganhou R$ 37 milhões e agora R$ 101 milhões. Isso é só para dar um exemplo da “saúde” das financeiras.


Confira os principais pontos da pauta de reivindicações: aumento real de salários; 14º salário; proteção salarial; PLR; unificação da data-base; adicional por tempo de serviço; hora-extra; auxílio-refeição de R$ 15,12 por dia de trabalho; Cesta-alimentação de R$ 238,40; auxílio creche/babá de R$ 151,09; auxílio para filhos em período escolar, excepcionais ou portadores de deficiência física, auxílio educacional e auxílio funeral; isenção total de tarifas; fundo de previdência complementar; garantia de emprego; jornada de 25h semanais; igualdade de tratamento; combate ao assédio sexual e moral, mais segurança nos estabelecimentos e eliminação de riscos à segurança e saúde e assistência médica, hospitalar, odontológica e farmacêutica.