Financiários garantem a 13ª cesta, mas não abrem mão de aumento real

52

Depois de três rodadas de negociações, as financeiras fizeram na quarta-feira, dia 24/10, uma contraproposta aos financiários, que estão em campanha salarial. A proposta da Fenacrefi (Federação Nacional das Empresas de Crédito, Financiamento e Investimento) prevê um reajuste de salários de 4% e uma nova conquista, a 13ª cesta-alimentação, garantida também pelos bancários.


Os representantes dos financiários na mesa de negociação destacaram que o índice de reajuste é insuficiente. O percentual não recompõe a inflação do período medida pelo IVC do Dieese (4,13%), embora garanta aumento real pelo INPC (3,57%).


“Queremos mais. Afirmamos aos representantes das financeiras que não aceitaremos um aumento real inferior ao dos bancários. Os donos das financeiras são os próprios bancos, que têm todas as condições de aceitar nossas reivindicações”, destacou Sérgio Siqueira, diretor da Contraf-CUT.


Embora o índice tenha sido considerado insuficiente, a negociação foi positiva, pois os financiários conseguiram garantir a 13ª cesta-alimentação. A data-base dos financiários é 1º de junho.