Funcionários continuam mobilizados pela antecipação da PLR

66

A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) reunida em João Pessoa (PB) definiu novas estratégias para a campanha salarial do funcionalismo da instituição. Como principal deliberação do encontro foi escolhido o dia 12/12 como Dia Nacional de Atividade e Mobilização.

Diante da pressão dos funcionários, o banco está acenando com um pacote de medidas para minimizar a situação até que seja autorizado o pagamento da PLR. A CNFBNB está consultando as entidades sobre o agendamento de uma negociação com o banco, caso se confirme a proposta de antecipação do valor provisionado para a PLR no balanço do 1º semestre.

A direção do BNB propõe destinar um montante de R$ 3,380 milhões para a antecipação da PLR, valor que equivale a menos de 20% do montante completo. O coordenador da CNFBNB, Tomaz de Aquino, considera que “é uma antecipação rebaixada, mas segue a lógica do adiantamento adotada pelos demais bancos e é uma sinalização de que o BNB vai pagar a PLR logo após o fechamento do balanço financeiro e que deve seguir a antecipação que foi feita em outros bancos”, conclui.

Demissões em Pernambuco – No último dia 23/11, em Recife, Tomaz de Aquino prestou depoimento como testemunha de defesa em uma audiência na Justiça do Trabalho de Pernambuco sobre as demissões sem justa causa de dois funcionários do BNB, lotados na capital pernambucana: Marcos Antônio Viana Pereira da Luz, com mais de 30 anos de serviços prestados ao banco, e Ruben Gouveia de Oliveira, 28 anos de BNB.

Os benebeanos demitidos foram punidos por entrarem na Justiça reivindicando horas extras trabalhadas e não pagas pelo banco. A audiência de julgamento está marcada para o dia 15/2/2007 e, durante esse período, as entidades sindicais vão continuar firmes na luta pela reintegração dos dois bancários.