Funcionários da agência BNB Centro cobram condições de trabalho dignas

28


  


O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou um protesto no último dia 30/8, em frente ao prédio onde funciona hoje a agência BNB Centro, pertencente à Justiça Federal e cobrou agilidade na reforma do novo prédio e respeito aos funcionários e clientes daquela unidade.


“Esse prédio que, quando foi inaugurado pertencia ao Banco do Nordeste, há cerca de 10, 12 anos passou para o domínio da Justiça Federal, e a agência do BNB e o seu Centro Cultural ficaram funcionando aqui, mas com prazo para desocuparem os andares, que são apenas três. Esse prazo inspira agora em dezembro/12 e por conta disso, a Justiça Federal, que é quem vai tomar conta de todo o prédio, começou a fazer uma obra que está prejudicando os trabalhadores do BNB e também os clientes do Banco”, explica o diretor do Sindicato, Tomaz de Aquino. Ele complementou ainda enfatizando que a obra iniciada pela Justiça Federal acontece a todo vapor dentro do prédio, sem observar o horário de funcionamento da unidade e o expediente dos bancários.


Tomaz denunciou ainda a poeira constante dentro da agência, além de sucessivas quedas de energia quando a agência fica sem elevador, sem ar condicionado, sem computadores, sem qualquer condição de trabalho e de atendimento. “O SEEB/CE já vem negociando isso há bastante tempo, cobrando uma providência para garantir as perfeitas condições que os trabalhadores e os clientes do Banco merecem, mas a Direção do BNB não tem feito a sua parte. Por sua vez, ainda alega que a Justiça Federal não recebe o Banco para rediscutir o acordo que foi feito e o prazo que foi dado. É inacreditável que um banco federal não tenha capacidade e competência para se reunir com um diretor da Justiça Federal”, analisa Tomaz.


O Sindicato está ingressando com um processo na Procuradoria Geral do Trabalho (PRT) solicitando uma vistoria no edifício e uma consequente interdição constatadas as condições inadequadas de funcionamento do prédio. “Vamos cobrar celeridade para que trabalhadores e clientes do Banco recebam o devido respeito”.


Reforma – Em abril deste ano, o Sindicato esteve realizando um protesto semelhante cobrando providências do BNB quanto ao destino da agência. Após o protesto na Praça Murilo Borges, o Sindicato foi ver a obra do prédio onde será a nova agência Centro do BNB, na rua Major Facundo, e percebeu que a obra apenas começou e que, provavelmente, não ficará concluída até dezembro.


“Esse prédio já era para ter sido entregue à população, mas agora estão prometendo para dezembro e nós não sabemos se isso será cumprido até lá. O que nós sabemos é que os funcionários que estão trabalhando no prédio da Justiça Federal estão em péssimas condições e merecem respeito. A clientela também está sofrendo com essa reforma, pois é um barulho infernal dentro da agência, além da poeira e outros contratempos, e o que se faz necessário é um local extra onde haja condições de trabalho e de atendimento à população”, avalia a diretora do Sindicato, Carmen Araújo.