Funcionários de todas as unidades do banco são vítimas de assédio moral

23

Pressão para atingir metas absurdas e ameaças constantes fazem parte do dia-a-dia dos bancários do HSBC em todas as unidades do Ceará. O Sindicato dos Bancários do Ceará vem recebendo regularmente denúncias de vários funcionários do banco informando que a gerência regional do HSBC está impondo metas cada vez mais abusivas e cobrando os trabalhadores de forma acintosa, configurando prática de assédio moral.


É importante ressaltar que a prática de assédio moral traz graves danos à saúde dos bancários. Em pesquisa realizada em 2007 com a categoria, através da Secretaria de Saúde e Condições de Trabalho do Sindicato, numa amostra de quase mil bancários, que apontaram várias situações constrangedoras sofridas dentro do ambiente de trabalho, além de diversos atos negativos cometidos pelos gestores.


Ainda de acordo com a pesquisa, os bancários consultados afirmaram ter sérios problemas de saúde em decorrência do assédio moral sofrido nas unidades de trabalho. Entre os principais problemas enfrentados estão: “sente-se nervoso e preocupado (40,44%)”, “dorme mal (27,77%)” e “se cansa com facilidade (25,67%)”. Além disso, muitos apontam também falta de apetite, dores de cabeça constantes, crises de choro e tristeza, sentimento de inutilidade, falta de interesse e até mesmo desejo de suicídio. Coincidentemente, esses são sintomas apontados pelos especialistas da área, como principais sintomas em casos de assédio moral.

O diretor do Sindicato e funcionário do HSBC, Humberto Silva, informa que “a nossa entidade está sempre atenta para coibir a prática de assédio moral contra qualquer bancário, mas é preciso que o trabalhador tenha a coragem de denunciar. Caso deseje, o anonimato será preservado”, disse.


As denúncias podem ser feitas pelo telefone (85) 3252 4266.

TIPOS DE CHEFES ASSEDIADORES


1) Pit-Bull: agressivo e violento, que demite friamente e humilha por prazer;


2) O Profeta: aquele que exalta suas próprias qualidades e tem a missão de enxugar a máquina e, por isso, demite indiscriminadamente, mas humilha com cautela;


3) O Troglodita: é o chefe brusco, que não admite discussão e não aceita reclamações;


4) O Tigrão: esconde sua incapacidade com atitudes grosseiras e necessita de público, pois, quer ser temido por todos;


5) O Grande Irmão: primeiro banca o protetor, para depois atacar, ou seja, aproxima-se, entra na intimidade do trabalhador e, na primeira oportunidade, usa o que sabe contra o empregado para rebaixá-lo ou demití-lo.