Funcionários do BB Comercial Centro sofrem com o calor e com as más condições de trabalho

8


Mais uma vez, o Sindicato dos Bancários do Ceará denuncia as más condições de trabalho no prédio do Banco do Brasil na Praça do Carmo, no Centro de Fortaleza. Ainda no ano passado, em dezembro, o diretor do SEEB/CE, Bosco Mota, foi à unidade e constatou as péssimas condições dos aparelhos de ar condicionado no 3º andar do prédio, onde funciona a agência Comercial Centro, que de tão antigos não dão conta de refrigerar o ambiente. É comum vermos nas mesas dos funcionários diversos tipos de ventiladores que são usados para amenizar o calor. Além disso, dois dos quatro elevadores do edifício não estão funcionando.


“Há muito tempo, o Sindicato vem denunciando as condições precárias desse prédio. Os ar condicionados são ruins, antigos, as instalações estão em péssimas condições, ameaçando a integridade dos bancários, os elevadores estão com defeito. Já denunciamos a situação dessa unidade até para a direção geral do BB, em Brasília, mas até hoje, pouco foi feito de concreto”, afirma Bosco Mota.


Ele lembra que o prédio tem ao todo 15 andares, mas apenas cinco deles são ocupados pelo BB. Os demais estão abandonados, o que também gera apreensão por parte dos funcionários, pois a situação dos andares de cima é bem precária. “A má conservação do prédio do BB na Praça do Carmo é visível e exigimos uma providência urgente, pois está colocando em risco a integridade de funcionários e clientes”, denuncia o diretor do Sindicato, Bosco Mota. Na unidade trabalham mais de 200 funcionários distribuídos em unidades como agência bancária, agência comercial, auditoria, Ajure, PSO, Aposentados e outros.


O Sindicato informou ao Banco do Brasil que se não forem solucionados os problemas da unidade haverá novas paralisações no prédio.


“Esse é apenas mais um capítulo do histórico de problemas estruturais do prédio do BB da Praça do Carmo. O prédio comporta a maior agência do banco no Ceará. O banco precisa investir para oferecer segurança e condições dignas de trabalho aos funcionários e um atendimento decente”
Bosco Mota, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará e funcionário do BB