Funcionários do BNB cobram solução para o impasse

31

Funcionários ativos e aposentados do Banco do Nordeste realizaram no dia 20/12, na agência Fortaleza/Centro (Edirb), um ato de manifestação contra a indefinição nas negociações de equiparação das comissões do BNB às do Banco do Brasil.


A chamada Ação de Equiparação é uma ação trabalhista de 1988 não cumprida pelo BNB, o que levou os funcionários do Banco a entrar na Justiça em 1990. “Nós ganhamos essa ação em 2002. De lá pra cá, tentamos negociar com o Banco e não temos conseguido nenhum resultado. E como a administração do Banco está terminando agora, nós temos que dar uma pressa maior nessa questão pra ver se resolve”, disse Tomaz de Aquino, diretor do Sindicato e coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do Banco do Nordeste (CFBNB/Contraf-CUT).


Para simbolizar a longa espera, os manifestantes distribuíram santinhos do Santo Expedito (padroeiro das causas urgentes) e levaram um bolo para comemorar os 22 anos do impasse. A manifestação dividiu a atenção dos presentes com a apresentação dos corais do SEEB/CE e da AFABEC. Entre uma canção e outra, Tomaz de Aquino cobrou uma posição da direção do Banco. “Está faltando boa vontade do Banco. A gente não aceita mais esse tipo de enrolação”, afirmou.


Atualmente, as ações do Sindicato para reverter a situação são políticas.. “Se essa última tentativa não der certo, nós vamos fazer a execução judicial”, disse Tomaz. Segundo o diretor, o Sindicato está agilizando o processo de apuração de valores para dar início à fase judicial.