Funcionários do BNB reforçam luta do Sindicato pelo afastamento de diretores

5


Colegas eleitos delegados para o XIX Congresso Nacional dos Funcionários do BNB aprovaram recomendação pelo imediato afastamento dos quatro diretores do BNB remanescentes da gestão Roberto Smith. A justificativa é de que esses dirigentes encontram-se sob suspeição de práticas de irregularidades na gestão da Instituição.


Para os funcionários congressistas, reunidos em Teresina-PI, nos dias 24 e 25 de maio últimos, mesmo não havendo ainda a comprovação das denúncias, o afastamento é uma norma historicamente seguida pelo Banco, a fim de garantir isenção ao processo de apuração e evitar que, no exercício do cargo, esses diretores usem do poder para atrapalhar as investigações.


A apuração das denúncias, iniciada pela Controladoria Geral da União, Polícia Federal e Tribunal de Contas da União, chega agora ao Ministério Público Federal. O MPF está apurando possíveis irregularidades praticadas no âmbito da Diretoria Financeira e de Mercado de Capitais. O Ministério Público será acionado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará para investigar também as ações do Instituto Nordeste Cidadania (INEC), onde há indícios de práticas administrativas ilícitas e de fraudes em operações do Crediamigo.


Outro flanco que está sendo investigado pelos órgãos competentes é o que explora a terceirização no BNB e demais bancos públicos com indícios de favorecimento a figurões da República, a partir da interferência de diretores desses bancos, principalmente o BNB. O “nicho” dos escritórios de projetos é outro campo minado por denúncias do envolvimento de diretores que utilizam esses escritórios para ter como certa a aprovação de vultosas operações no âmbito do Banco do Nordeste do Brasil, em benefício de grupos econômicos de interesse desses dirigentes.


Para o Sindicato dos Bancários do Ceará, uma cadeia avassaladora de irregularidades está ameaçando não só a credibilidade, mas a própria solvência do BNB, pois o que se propala é que os prejuízos causados à Instituição, quando estourarem, alcançarão valores acima do seu patrimônio líquido.


O SEEB/CE empenha-se como sempre fez na busca de esclarecer todos esses males e conclama todo o funcionalismo e demais instâncias de representação do corpo funcional (AFBNB, AABNB) a entrarem nessa verdadeira guerra, voltada a combater a corrupção dentro do BNB. Somente assim se poderá preservar a Instituição Banco do Nordeste, patrimônio da sociedade nordestina que muito precisa dos recursos operacionalizados pelo Banco, principalmente aqueles voltados aos micros e pequenos empreendedores.