Funcionários do BNB tiram dúvidas sobre a ação de equiparação

57

Os funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) estiveram reunidos na última quinta-feira, dia 5/9, para debater sobre a ação de equiparação das comissões do BNB às do BB. Na ocasião, o assessor jurídico, Carlos Chagas e o advogado Vianey Martins estiveram presentes para tirar dúvidas dos bancários a respeito dos trâmites da ação.


O coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT), Tomaz de Aquino, enfatizou que entendemos “entendemos a ansiedade dos beneficiários em receber logo os valores devidos, mas alertamos que é uma ação de alta monta, que precisamos analisar cada ponto e confiar na entidade porque nós estamos lutando pelo melhor acordo para todos”, destacou.


A ação foi ganha em todas as instâncias pelo Sindicato dos Bancários e foi ajuizada em 1991. São 1.638 beneficiários num processo que tem ao todo 16 mil páginas.


O SEEB/CE tentou de todas as formas um acordo com o banco, mas sem sucesso nas negociações, foi obrigado a ajuizar uma ação de execução. A entidade apresentou os cálculos à Justiça e pede que esta dê ao banco um prazo para se posicionar quanto ao cumprimento da ação. Os mesmos cálculos foram entregues informalmente ao banco desde outubro/2006, mas até agora a empresa não se posicionou. O Sindicato pleiteia o pagamento das diferenças salariais em função da equiparação das comissões a partir de 31/10/1988 e seus reflexos nas demais verbas.


“Cansamos de esperar um chamado do banco para negociação e por isso resolvemos pelo o ajuizamento da execução, mas continuamos abertos para um acordo, desde que ele seja satisfatório para todos”, concluiu Tomaz.