Funcionários exigem solução da PCR

61

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Itaú, solicitou ao banco a continuidade do processo de negociação permanente. O principal ponto de pauta a ser discutido será o desfecho da negociação da Participação Complementar nos Resultados (PCR).

A representação dos trabalhadores do Itaú reivindica aumento no valor que o banco oficializou que iria pagar, quando do fechamento do balanço referente ao exercício de 2006. Este valor é menor que os R$ 850,00 que os funcionários receberam a título de PCR em 2005. A proposta da COE/Itaú é de R$ 1.500,00 a ser distribuído linearmente para todos os funcionários.

Para Ribamar Pacheco, representante da Fetec/NE na COE/Itaú “esta reivindicação é legítima se considerarmos a alta lucratividade que o banco já alcançou durante o ano de 2006. E nossa luta não se restringe só neste ponto, nesta reivindicação, pois temos muito a discutir ainda com o banco, tais como: auxílio educação, programa AGIR, contratação de novos bancários, plano de saúde/odontológico, previdência complementar e enquadramento sindical. Neste aspecto nossa organização e luta será fundamental para avançarmos na busca de novas conquistas”.