Funcionários fecham pauta específica de reivindicações

23


Delegados do Encontro Nacional dos Trabalhadores do Itaú, realizado nos dias 7 e 8/6, em São Paulo, definiram a minuta de reivindicações específicas para a Campanha Nacional 2018. O documento é resultado de debates de temas como Emprego e Condições de trabalho e programas próprios de remuneração, como PLR e PCR. Também houve apresentações de balanço do Grupo de Trabalho (GT) de Saúde e dos planos de previdência da Fundação Itaú.


Durante o encontro, foram aprovados pontos que a COE vai continuar a discutir com o banco: a SQV, a cláusula 65 e o PCR para 2019 e 2020. O sentimento geral dos participantes do encontro foi que o banco foi um dos principais financiadores do Golpe contra a democracia para se aproveitar da crise que o se instaurou no Brasil, mostra disso foi se transformar no maior banco do país, neste período. É importante lembrar que, num ano de muita dificuldade econômica para o país, o Itaú lucrou quase R$ 25 bilhões em 2017 e já chegou a R$ 6,4 bi no primeiro trimestre de 2018.


“Esse é o momento para nos reinventar, nos fortalecer e exigir do banco respeito aos nossos direitos. Bancário e bancária, juntem-se ao movimento sindical, para que a gente mostre nosso poder de organização e mobilização histórico que representam nosso jeito de fazer sindicalismo”
Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE/Itaú