Funcionários receberão adiantamento da PCR em agosto

40

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Itaú (COE Itaú) conseguiu, em negociação realizada dia 26/5 com o Itaú, a antecipação de uma parcela de R$ 750,00 da Participação Complementar nos Resultados (PCR). O valor será pago no dia 1º de agosto. O adiantamento corresponde a 50% do valor da PCR recebida pelos funcionários em 2007.


A PCR já foi tema de negociação entre o banco e a COE Itaú, quando foi conquistado um aumento no valor a ser pago este ano, que poderá chegar a R$ 1.800,00, dependendo do lucro do banco.


Fruto da luta dos trabalhadores do Itaú, representados na mesa de negociação pela COE Itaú, a PCR é paga além da PLR prevista na Convenção Coletiva Nacional dos Bancários e não é descontada do programa próprio de remuneração variável do banco (Agir). Sua distribuição é linear, ou seja, todos os trabalhadores recebem o mesmo valor, não importando seu salário.


No ano em que foi instituída, em 2005, a PCR equivalia a R$ 850,00. Desde então, cresceu ano a ano, alcançando R$ 1.200,00 em 2006, R$ 1.500,00 em 2007 e podendo chegar a R$ 1.800,00 em 2008. “Essa é uma importante conquista dos trabalhadores do Itaú e nós vamos continuar lutando para que a PCR seja valorizada cada vez mais”, afirma o diretor do SEEB/CE e representante do Nordeste na COE Itaú, Ribamar Pacheco.

AUXÍLIO-EDUCAÇÃO – A negociação do dia 26/5 trouxe avanços para os funcionários do Itaú também no Auxílio-Educação. O banco acatou a reivindicação da COE Itaú e vai disponibilizar, em caráter extraordinário, 904 bolsas novas do benefício no segundo semestre de 2008.


No primeiro semestre o banco disponibilizou 1.400 bolsas para os funcionários. No entanto, 2.304 se inscreveram para disputar o benefício. As novas bolsas garantem auxílio para todos os trabalhadores que se inscreveram esse ano, ainda que parte seja apenas pelo segundo semestre. As bolsas cobrem 50% do valor da mensalidade até o teto de R$ 320,00. Têm preferência para conseguir o benefício os bancários com mais tempo de banco, maior idade e menor salário.