Funcionários ressaltam importância de banco forte e lucrativo, sem abrir mão do social

9


O Sindicato dos Bancários do Ceará participou na última sexta-feira, 24/4, da assinatura do acordo aditivo da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos funcionários do BNB, com a presença do presidente do Banco, Nelson Antônio de Souza.


A PLR deste ano, creditada no último dia 17/4, foi uma conquista do esforço do funcionalismo que assumiu o compromisso com o projeto de gestão da direção do BNB que, muitas vezes, demandava trabalho além da jornada, prática criticada pelo Sindicato dos Bancários do Ceará.


O Sindicato ressaltou também o plano de gestão do Banco com o objetivo de fortalecer a Instituição, aumentando a rede de agências, contratando mais funcionários, ampliando negócios, recuperando crédito, sem abandonar em nenhum momento a sua função social.


Entretanto, a entidade sindical destacou mais uma vez que deve trabalhar na próxima campanha salarial, uma cláusula que conste no acordo específico dos funcionários garantindo que a quitação total da PLR ocorra juntamente com os demais bancos públicos federais.


“Após vários anos de luta, mobilização, negociação das reivindicações e greves no BNB conquistamos mais empregos e novas agências. O próprio Banco mostrou que pode ser mais forte e impulsionar seu resultado, melhorando a PLR, cumprindo a Fenaban e com PLR Social. Falta agora o BNB avançar em seu planejamento e garantir a assinatura dos ACT’s e pagamentos da PLR no mesmo período dos outros bancos. Os funcionários têm que ser respeitados como todos os bancários de bancos públicos e privados que receberam suas segundas parcelas da PLR’s até março. A luta continua”, afirmou o presidente do Sindicato dos Bancários, Carlos Eduardo Bezerra.


“O entendimento do Sindicato é de que este Banco não pode prescindir de ser um banco auto-sustentável, de ser um banco que tenha sua área comercial, múltiplo, forte e lucrativo, até para cumprir os direitos dos trabalhadores, sem abrir mão do seu viés social de desenvolvimento regional”.
Tomaz de Aquino, diretor do Sindicato e coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB