Fundo tem arrecadação recorde com geração de mais empregos

17

O aumento no número de empregos com carteira assinada fez com que os depósitos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) superassem em R$ 11,9 bilhões os saques em 2010. Com isso, a arrecadação líquida foi recorde e ficou 72,5% acima dos R$ 6,9 bilhões registrados em 2009, até então o melhor desempenho anual do fundo.


Em 2010, a arrecadação bruta também foi a maior da história, somando R$ 71,79 bilhões. Já o valor dos saques em casos de demissão sem justa causa caiu pela primeira vez desde 2004, passando de R$ 30,96 bilhões para R$ 30,86 bilhões.


“A arrecadação foi maior também porque a massa salarial é maior. Isso mostra o bom momento do mercado de trabalho”, afirma Henrique José Santana, gerente nacional do FGTS na Caixa Econômica Federal. Para o professor Amilton Moretto, do Cesit (Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho) da Unicamp, o bom resultado registrado pelo fundo é reflexo também da diminuição da rotatividade nos empregos, o que explica a queda nos saques por demissão. “As empresas estão tentando reter seus trabalhadores porque têm perspectiva de continuidade do bom desempenho econômico. Isso tanto fortalece o aumento da arrecadação como a queda nos saques”, disse Moretto.


Percentualmente, as regiões que mais registraram avanço na arrecadação do FGTS foram a Nordeste e a Norte, com aumentos de 20% e 17%, respectivamente. No Sudeste, a alta foi de 13,5%.


Em 2010, o valor destinado para financiar programas habitacionais cresceu 49%, para R$ 28,3 bilhões. O programa Minha Casa, Minha Vida recebeu R$ 3,86 bilhões em recursos do fundo, que são usados como subsídio na compra de imóveis. Para este ano, a previsão é que esse valor alcance R$ 4,5 bilhões.