Gerente e vigilante são presos por pedir identificação de policiais

78

No último dia 29/3, dois policiais civis entraram na agência Bezerra de Menezes, da Caixa Econômica Federal e levaram presos o vigilante e um dos gerentes de atendimento da unidade.

O vigilante pediu a identificação dos policiais, que reagiram de maneira grosseira, alegando que não precisavam se identificar e que havia uma denúncia de roubo dentro da agência. O vigilante recorreu ao gerente de atendimento Francisco Pereira da Silva que liberou a entrada dos policiais e tentou apaziguar os ânimos. Os dois acabaram recebendo voz de prisão e a tal denúncia de roubo aconteceu na verdade na agência Mister Hull.

De acordo com Pereira, os policiais não checaram a ocorrência e foram extremamente autoritários. “Eles gritaram para toda a agência que estavam nos levando presos, saíram em alta velocidade, com a sirene ligada, como se fôssemos dois indivíduos perigosos e ainda debocharam de mim durante o trajeto. Sinto-me arrasado emocionalmente”, relatou.

Na delegacia, o gerente e o vigilante foram acusados de desacato à autoridade, quando na verdade foram vítimas de abuso por parte dos policiais. Existe um acordo entre a Caixa e a Secretária de Segurança Pública do Estado (SSP) que ordena a identificação de policiais armados antes de entrarem em qualquer unidade do banco.

Em repúdio, o Sindicato dos Bancários informa que já contactou a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e o Escritório Norte-Sul da Caixa e vai entrar com uma ação reparatória por danos morais contra o Estado. O Sindicato vai acionar ainda a SSP e o Ministério Público do Trabalho para coibir outros abusos semelhantes.