Governo pode prorrogar vacinação contra H1N1 para atingir meta

37

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, admitiu na quarta-feira, 31/3, a possibilidade de o governo prorrogar a campanha de vacinação contra a gripe H1N1, caso a meta de imunização não seja alcançada.


“Estamos no início, mas nossa meta é de 80% da população alvo. É evidente que tudo que acontecer nesse caminho que nos afaste dessa meta vamos ter que repensar. O que queremos é proteger a população”, disse Temporão.


Temporão ressaltou que as pessoas que estiverem viajando para fora do País ou que tenham problemas graves que as impossibilitem de ir aos postos de saúde também poderão ser vacinadas fora dos prazos fixados pelo ministério.


A campanha de vacinação contra a gripe H1N1 começou no dia 8/3, quando o público alvo era profissionais da saúde e indígenas. Gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos e pessoas com doenças crônicas foram imunizadas em seguida. Nas três etapas seguintes serão vacinados adultos de 20 a 29 anos (5 a 23/4); idosos, incluindo os que têm doenças crônicas (24/4 a 7/5); e adultos de 30 a 39 anos (10 a 21/5).


Este ano, a nova gripe matou ao menos 36 pessoas no País, de acordo com dados do Ministério da Saúde. No ano passado, foram 2.051 mortes no Brasil.