Greve de 24 horas foi forte em Fortaleza e teve várias adesões no Interior

16

A greve de advertência dos bancários do Ceará, nesta terça-feira, dia 30/9, de 24 horas, teve a adesão de trabalhadores de todos os bancos no Estado do Ceará. A paralisação teve maior adesão nas agências do Banco do Brasil, da Caixa Econômica e nos bancos privados, como Itaú, Bradesco, Unibanco, Santander e HSBC, além de unidades do Banco do Nordeste, em Fortaleza.

A greve teve o caráter de advertência e protesto contra a intransigência dos banqueiros, que apresentaram proposta que não atende aos anseios da categoria. A proposta do patronato foi de reajuste de 7,5%, considerada indecente pela categoria, tendo em vista os altos lucros dos bancos. A reivindicação da categoria é de 13,23%, o que garante aumento real.


Nas agências da Capital, os diretores do Sindicato dos Bancários tiveram apoio integral dos bancários. O presidente interino Carlos Eduardo ressaltou que “essa greve de 24 horas é uma advertência. Com ela, temos a perspectiva de reabrir as negociações com a Fenaban. Nossa mobilização deve ser intensa e forte. Os sindicatos rejeitaram a proposta da Fenaban, o que mostra a união da categoria”.


No Itaú da Major Facundo, paralisado totalmente, o diretor Ribamar Pacheco destacou a consciência de classe coletiva dos companheiros do Itaú que fortaleceram a paralisação. Destacou, também, a compreensão dos clientes e usuários para o movimento. “Nossa Campanha Salarial reivindica também melhorias no atendimento bancário e o fim da cobrança de tarifas abusivas”, enfatizou.

REUNIÃO DO COMANDO – Os bancários fizeram paralisação de 24 horas, terça-feira (30/9) em 22 capitais e nas bases territoriais de mais 126 sindicatos da categoria em todo o País. O Comando Nacional dos Bancários reuniu-se na quarta-feira, 1º/10, em São Paulo, para avaliar a mobilização e a continuidade da campanha sala-rial. “Agora cabe à Fenaban nos chamar para apresentar nova proposta. Em caso contrário, nas assembléias no dia 7/10 vamos aprovar a greve por tempo indeter- minado a partir do dia 8 de outubro”, afirma Vagner Freitas, presidente da Contraf-CUT.