GT de Saúde debate propostas de mudanças no Programa de Readaptação

29


O Grupo de Trabalho (GT) de Saúde e Condições de Trabalho do Itaú voltou a se reunir, no dia 18/10, para tratar sobre o Programa de Readaptação, instituído pelo banco sem a participação do movimento sindical. A cláusula 45 da Convenção Coletiva de Trabalho assegura a instituição de programas de retorno ao trabalho, em conjunto com o movimento sindical, banco a banco.


Os representantes dos trabalhadores entregaram ao banco uma proposta de mudança para o Programa de Readaptação, com a inclusão de cláusulas que garantem a proteção do trabalhador. Dentre as propostas, o movimento sindical reivindica que a avaliação do trabalho desse funcionário deve ser diferenciada.


Sobre a cláusula 29 da CCT, a proposta do movimento sindical é o parcelamento da dívida do funcionário quando estiver afastado. Os sindicalistas apresentaram também denúncias de suspensão do pagamento do auxílio cesta alimentação, garantido pela cláusula 15 da CCT, quando o INSS indefere o benefício.


O banco se comprometeu a analisar as questões e dar o retorno na próxima reunião, marcada para o dia 28 de novembro.


“Nossa reivindicação é que o programa inclua a participação dos representantes dos trabalhadores para garantir saúde e condições de trabalho dos funcionários inseridos no programa de readaptação”
Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú