Implantação do PCR deve ser em fevereiro

38

Implantação do Plano de Cargos e Remuneração (PCR). Essa foi uma das principais cobranças da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/CNBCUT) durante a última reunião com a representação do banco, no dia 18/1. Segundo o BNB, a questão está praticamente resolvida, tendo já sido aprovado o novo plano no Dest, falta, agora, apenas a formalização do Ministério da Fazenda.

Outro ponto discutido na reunião foi o Plano de Funções, que o banco pretende implantar junto ao PCR. Após análise, a CNFBNB levantou algumas críticas em relação aos valores das funções, considerados rebaixados; além da discriminação de algumas funções de 8h, já que a jornada do bancário é de 6h e as outras duas deveriam ser pagas como hora extra e a disparidade de valores de algumas funções, como a de Técnico de Campo e a de Agentes de Desenvolvimento, já que ambas têm atribuições semelhantes. Continua, ainda, a diferença entre os valores das funções da Direção Geral e das agências. A Comissão irá divulgar para o conjunto dos funcionários as tabelas com os valores e orientar o aprofundamento da análise. Nas assembléias, os questionamentos serão apresentados e a Comissão não fará a defesa do Plano.

A CNFBNB voltou a cobrar o pagamento da PLR, tendo em vista que está sendo amplamente divulgado o bom resultado do banco este ano. O BNB destacou que no dia 12/2 o Balanço Financeiro da instituição deverá ser aprovado e só após essa data poderá ter um quadro mais claro sobre o pagamento da PLR. A Comissão espera que o BNB reconheça que os funcionários são os responsáveis pelos excelentes resultados e efetue o pagamento.

A reunião serviu, ainda, para a negociação ajustes de redação em algumas cláusulas do Acordo Coletivo 2005/2006. Também foram tratadas as seguintes questões: Plano CD (CAPEF), estatuto da Camed, GT BNB Clube, termo de responsabilidade, hora extra e mesas temáticas.