INSS faz recadastramento de benefícios com procuração

19

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começou a suspender o pagamento de 31.047 benefícios de segurados que não foram encontrados. Só ano passado foram 3.550 no Ceará. Esses segurados responderam o censo por meio de procuradores, tutores ou curadores, mas não foram localizados nos endereços declarados. O INSS chegou a convocar por meio de edital, em fevereiro deste ano, 31.322 pessoas nessa situação, mas apenas 285 responderam.

O INSS suspendeu no último ano, o pagamento de aposentadorias, pensões e demais benefícios previdenciários de 3.550 pessoas no Ceará, que deixaram de participar do Censo da Previdência, iniciado em outubro de 2005, com o objetivo de evitar fraudes realizadas por procuradores de aposentados já falecidos, e o conseqüente pagamento indevido do benefício.

O Censo Previdenciário visa ainda corrigir distorções e suspensões no pagamento de homônimos e já recadastrou 735.557 aposentados e pensionistas no Estado. No País, a meta é recensear cerca de 20 milhões.

No Ceará, outros 50.784 aposentados e pensionistas estão sendo convocados e deverão se recadastrar até o mês de junho próximo. Um pouco mais de um milhão de pessoas percebem algum tipo de benefício pecuniário da Previdência, seja aposentadoria, pensão, auxílio doença, salário maternidade ou assistenciais. Em média, o valor pago a cada beneficiário é de cerca de R$ 530,00 mensais, no Estado.

Os benefícios suspensos podem ser regularizados no posto do INSS onde a aposentadoria ou pensão foi concedida. O calendário de bloqueio dos benefícios é o mesmo do pagamento. Já foram bloqueados os benefícios de final 1 e 6; os de final 2 e 7. No dia 9 deste mês serão bloqueadas as aposentadorias de final 5 e 0.

O segurado tem 30 dias para fazer a regularização dos dados e receber o pagamento bloqueado. Após 30 dias, o benefício é suspenso por três meses. Em seguida, caso não seja feita a regularização, a aposentadoria será cancelada definitivamente.