Interino ameaça fusão dos bancos públicos. Sindicato repudia e chama bancários à luta

12


O futuro da Caixa Econômica Federal pode estar ameaçado. A equipe econômica do governo interino golpista de Michel Temer e companhia retomou os estudos iniciados nos anos 90 (Era Privatista de FHC) sobre a fusão com o Banco do Brasil, para tornar a Caixa uma instituição menor, focada somente no negócio imobiliário.


As demais operações, como seguradora, cartões, crédito para empresas e o varejo seriam passados para o BB. A intenção de enfraquecer os bancos públicos e facilitar a atuação dos gigantes privados do setor é clara.


O Sindicato dos Bancários do Ceará repudia esse plano nefasto e reafirma a importância do papel social da Caixa. Os bancos públicos são fundamentais para o País, a exemplo de sua atuação social, de ampliar a concessão de crédito e diminuir o spread bancário e as tarifas para facilitar o consumo e movimentar a economia, criando uma cultura de desenvolvimento e distribuição de renda.


Dessa forma, convocamos todos os bancários a reforçar a luta em defesa das empresas públicas e impedir toda e qualquer tentativa de retrocesso.


“O momento é de apreensão, principalmente, entre os trabalhadores da Caixa. Nos últimos dias tivemos notícias sobre propostas para abrir o capital do banco e até de uma fusão com o Banco do Brasil. Nosso objetivo é alertar a categoria, convocando todos para se juntarem ao Sindicato na luta a favor da Caixa 100% pública, forte, social e a serviço da população, e pela manutenção do BB forte. Não vamos aceitar nenhuma movimentação no sentido de enfraquecer e privatizar os bancos públicos”
Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará e da Fetrafi/NE