Itaú não valoriza seus funcionários

24

Em negociação realizada entre a COE/Itaú e a direção do banco, ocorrida em São Paulo, dia 23/11, a representação do banco em mais uma oportunidade demonstrou total desrespeito e falta de reconhecimento para com seu corpo funcional.

A negociação tinha como ponto de pauta principal a retomada do processo de discussão sobre a contratação da PCR (Participação Complementar nos Resultados). Resgatando a postura do banco com relação a este ponto, em meados de agosto, o Itaú, de forma unilateral e atropelando um processo de negociação em curso, antecipou a título de PCR para todos os funcionários um valor de R$ 360,00, e que posteriormente, o que é agravante, fez a contratação da PCR com uma entidade que não tem representatividade junto aos funcionários do banco, no caso a Contec.

A Comissão dos Funcionários (COE/Itaú) fez um protesto veemente contra a prática anti-democrática do banco e orienta os Sindicatos em nível nacional a realizar no dia 30/11 um dia na-cional de atividades nas unidades do Itaú, alusivos a mais um dia de luta dos seus funcionários.

Para Ribamar Pacheco, representante do Nordeste na COE/Itaú, “só há uma maneira de rompermos com essa truculência e intransigência dos donos do Itaú. È mostrando nossa organização e luta, que arrancaremos do banco aquilo que julgamos ser um reconhecimento ao esforço e dedicação dos companheiros, que são os responsáveis pelo fortuna do banco acumulada nos últimos anos”.