Jornalista denuncia uso político do Instituto Nordeste Cidadania

14


O jornalista Roberto Moreira divulgou no último dia 5/3, em seu blog, a seguinte informação: “O Serviço de Inteligência da Polícia do Ceará investigou a origem das vaias ao governador Cid Gomes em Redenção, na sexta-feira (1º) e descobriu de onde partiram. O grupo era liderado por pessoas que participam do Programa de Microcrédito do Banco do Nordeste. É só procurar quem coordena os programas e os institutos que atuam na área e se chega aos responsáveis, inclusive um deputado”.


Conforme denunciado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, o Instituto Nordeste Cidadania (INEC) vem se caracterizando ao longo dos últimos 10 anos como instrumento de utilização política por parte de parlamentares e altos dirigentes do BNB. As informações que chegam ao Sindicato dão conta de que deputado federal petista apoiado pela ex-prefeita de Fortaleza é um dos que dá as cartas no INEC, a partir de correligionários que ocupam elevadas funções na Instituição, inclusive função de direção e várias superintendências.


Para o SEEB/CE, lamentavelmente o INEC transforma-se a cada dia em cabide de emprego e escoadouro da terceirização que no próprio BNB já extrapolou todos os limites. Como o Instituto Nordeste Cidadania não precisa se preocupar com recursos, pois a fonte BNB todos os meses destina cerca de R$ 36 milhões a título de pagamento pela prestação dos serviços do microcrédito, interessa a quem, dentro e fora do BNB, usufrui dessa estrutura manter a situação como está a qualquer custo.


O Sindicato dos Bancários do Ceará fará chegar ao gabinete da Casa Civil da Presidência da República dossiê com todas as denúncias encaminhadas à Entidade, solicitando providências imediatas, sob pena da completa desfiguração do BNB e desse Instituto, criado no início dos anos 90 por ampla mobilização de diversos setores do funcionalismo do Banco, com objetivos bem mais nobres.