Juíza concede 10 dias para acordo, depois designa perícia contábil

31

A juíza da 3ª Vara de Justiça do Trabalho em Fortaleza, Drª Ana Luiza, determinou prazo de dez dias para que as partes envolvidas na ação de equiparação BNB/BB cheguem a um acordo. Caso contrário, declarará conclusos os autos e designará perícia contábil para determinar os valores a serem pagos pelo Banco aos beneficiários do processo.


A decisão é resultado da primeira audiência de conciliação convocada entre as partes pela Justiça e foi adotada tendo em vista a impossibilidade de acordo face à distância entre os valores propostos pelo BNB e Sindicato. A direção do Banco elevou a proposta de R$ 46 milhões, já rejeitada em assembleia, para R$ 53,9 milhões, considerada pelo SEEB/CE muito distante ainda dos R$ 170 milhões autorizados como contraproposta na última assembleia dos beneficiários.


O Sindicato dos Bancários, por dever de ofício, estará convocando para breve nova assembleia, a fim de deliberar sobre essa última posição do Banco, mas de antemão, através de sua diretoria, coloca-se contrário a um acordo em bases tão rebaixadas. Para o Sindicato, a Direção do BNB está apostando no desgaste emocional e financeiro dos beneficiários, em total desrespeito aos valores humanos e desconhecendo a contribuição que os funcionários que reclamam seu direito deram na construção e consolidação da instituição BNB.