Justiça manda reintegrar bancário acusado injustamente de fraude

9


O juiz Antônio Célio Martins Timbó Costa, da Vara do Trabalho de Iguatu, concedeu sentença favorável, no último dia 25/2, antecipando a tutela, para reintegração do funcionário do Banco do Brasil, Vanderley Vitoriano de Oliveira, demitido injustamente em 2013, após denúncia de fraude na agência de Acopiara.


Vanderley é funcionário do BB desde 1986. Foi gerente da agência de Acopiara de fevereiro/2009 a agosto/2011 e a partir de setembro/11, passou a ser gerente geral da agência de Itapipoca. Após um ano e meio lotado nessa unidade, Vanderley foi questionado sobre uma fraude descoberta na agência em que trabalhou anteriormente. O bancário foi chamado para uma reunião de trabalho na Superintendência e foi surpreendido com a presença de auditores que o questionaram sobre operações fraudadas e não aceitando nenhum de seus argumentos, rotulando-o com intuito exclusivo de punir sem a busca real da veracidade dos fatos, uma vez que, não efetuou nenhuma entrevista/contato com o fraudador ou com os clientes fraudados, não aceitando de forma alguma o argumento de senha roubada, fato esse admitido pelo ex-funcionário fraudador em audiência e em declaração de seu próprio punho.


Segundo apurou a justiça criminal da comarca de Acopiara, além dos depoimentos prestados em juízo, as fraudes na agência de Acopiara vinham acontecendo desde 2002, através da captura irregular de senha por um dos funcionários da agência.


Foram acusados todos os 26 funcionários que trabalharam na unidade em 2013, com abertura de uma ação criminal após denúncia do Ministério Público Esta-dual. Antes mesmo de o juiz pronunciar a sentença, o Banco do Brasil antecipou as sanções: demitiu quatro empregados, além de advertências, descomissionamentos e suspensões. Após o depoimento em juízo de todos os acusados, o Ministério Público pediu a absolvição de todos, com exceção de apenas dois bancários.


“Bastava a auditoria do Banco do Brasil ter ouvido o principal acusado e as punições não teriam ocorrido”, conclui o advogado do Sindicato, Vianey Martins, que acompanhou o processo.


Diante do acontecido, Vanderley procurou o Sindicato, ainda durante o processo de apuração. “Nós tivemos todo o apoio do Departamento Jurídico que nos deu todas as orientações e se empenhou para que tivéssemos êxito nesse caso, corrigindo essa injustiça e me dando a oportunidade de defesa que o banco não deu”, afirmou.


De acordo com a decisão judicial, Vanderley foi reintegrado no dia 13/3, na Superintendência do Banco, em Fortaleza.


“O Sindicato está sempre vigilante na defesa dos direitos de toda a categoria bancária, principalmente daqueles que se sentirem injustiçados. Em casos assim, os bancários devem imediatamente procurar a nossa entidade para que possamos restabelecer a verdade e combater as injustiças”
Gustavo Tabatinga, secretário Jurídico do Sindicato dos Bancários do Ceará