Levantamento do SEEB/CE aponta nove ataques a bancos em janeiro

20


O Sindicato dos Bancários do Ceará contabilizou em janeiro de 2013 um total de nove ataques a bancos. O número é maior do que o registrado em janeiro do ano passado, quando se registraram oito ataques.


Já no primeiro dia do ano, ainda de madrugada, criminosos aproveitaram o barulho causado pela queima de fogos que anunciavam a chegada do Ano-Novo, para explodir um caixa eletrônico, em um posto de autoatendimento do Bradesco, no Pecém, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza (55 Km da Capital). Segundo informações da Polícia, haviam dois caixas eletrônicos no local, mas devido à explosão apenas um ficou destruído.


No dia 8 de janeiro, um caixa eletrônico do Banco do Brasil de Viçosa do Ceará (446 km de Fortaleza) foi violado. Segundo a Polícia Militar, o gerente passava em frente ao banco quando estranhou a ação de três indivíduos dentro do prédio. Ele acionou a polícia, que o acompanhou ao local. Ainda de acordo com a PM, as câmeras do circuito interno de segurança haviam sido viradas. O grupo abriu um dos caixas eletrônicos e levou toda a memória que armazenava os dados das transações realizadas no aparelho. Um envelope foi colocado em cima do local da violação. A Polícia suspeita que o grupo se preparava para instalar um aparelho “chupa-cabra”.


Três dias depois, em 11 de janeiro, três homens foram presos após praticarem um assalto do tipo “saidinha” nas proximidades de uma agência do Bradesco, na Avenida Bezerra de Menezes, bairro Otávio Bonfim. Segundo informações do Serviço Reservado do BPRaio, responsável pela prisão, uma mulher teria sido vítima do roubo. Um policial que participou da captura dos assaltantes disse que um dos ladrões permaneceu dentro do banco e informou aos dois comparsas que estavam do lado de fora, que a vítima havia sacado dinheiro e colocado dentro da bolsa. Quando a mulher saiu, um dos bandidos, que estava armado ordenou que ela lhe entregasse a bolsa. A vítima não reagiu. Os três bandidos fugiram, mas foram capturados pela Polícia, acionada pelas testemunhas do crime.


No dia seguinte, 12 de janeiro, minutos de terror e pânico em Senador Sá, no Norte do Ceará. A cidade (260Km de Fortaleza) acordou na madrugada de sábado com um forte barulho seguido de tiros, resultado da explosão de caixa eletrônico do Banco do Brasil na Prefeitura. Moradores que estavam na praça foram tomados como reféns pelos assaltantes e serviram de “escudo humano”. Cinco homens, armados com escopetas 12 e pistolas de calibre Ponto 40 chegaram ao prédio da Prefeitura, onde funcionava um pequeno posto do BB, por volta de zero hora. Parte da quadrilha já foi capturada pela Polícia.


No dia 16 de janeiro, dois caixas eletrônicos do Banco do Brasil foram arrombados em Várzea Alegre (444 km de Fortaleza), durante a madrugada. Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI), um homem que passava pelo local em companhia do filho foi feito refém. Foi o filho quem acionou a polícia. De acordo com o CPI, o caso ocorreu por volta de 3h. Os assaltantes usaram maçaricos, pés de cabra e chaves de grifo para abrir os aparelhos, o alarme da agência bancária não funcionou. Em seguida, o grupo fugiu levando o dinheiro. O refém foi liberado logo após a fuga dos assaltantes.


No dia seguinte, 17 de janeiro, um cliente do Bradesco, agência Aldeota (Av. Santos Dumont com Desembargador Moreira), denunciou ao Sindicato ter sido vítima de saidinha bancária logo após fazer um saque na unidade. Ele denunciou ainda a pouca segurança que a agência oferece aos clientes, sem porta eletrônica detectora de metais e sem biombos ou proteção para quem utiliza os caixas eletrônicos.


No dia 20, três homens armados assaltaram o Banco Palmas, no Conjunto Palmeiras, durante a madrugada. O trio levou um cofre com dinheiro, cheques e cédulas de palmas, a moeda social do banco. Os criminosos ainda violaram, com o auxílio de um maçarico, o caixa eletrônico do Banco do Brasil (BB) instalado no local, mas não conseguiram levar dinheiro. Os homens arrombaram a porta do escritório do estabelecimento e levaram um cofre de 120 quilos, que guardava R$ 68.657,00 em espécie, R$ 4.629,00 em cheques e R$ 6 mil em palmas (cada palma equivale a R$ 1,00). Em nove meses, esse foi o segundo assalto registrado no banco popular, ressalte-se, o ataque ocorreu no exato dia que o banco popular comemorava 15 anos de atuação.


No dia 21, o funcionário de uma farmácia foi vítima de “chegadinha bancária”, por volta de 11h da manhã, no município de Quixadá (158 km de Fortaleza). Na ação, os suspeitos levaram cerca de R$ 9 mil. De acordo com o Comando de Policiamento do Interior (CPI), a vítima foi abordada por dois homens em uma motocicleta preta no momento em que chegava a uma agência bancária para depositar a quantia. Em seguida, os indivíduos fugiram.


E finalmente, no dia 28 de janeiro, um grupo de 10 homens roubou um malote de dinheiro de um carro-forte em frente a uma agência do Banco do Brasil do  município de Aquiraz (35 km de Fortaleza). O crime ocorreu por volta das 9h da manhã e durante a fuga, os acusados promoveram um tiroteio na área. Houve troca de tiros entre os acusados e os seguranças do banco e o grupo fugiu levando o automóvel do gerente da agência. A quadrilha acabou presa e a quantia roubada foi recuperada pela Polícia.