Lideranças sindicais apoiam Vagner Freitas à presidência da CUT

32

  

Lideranças do movimento sindical cearense ligado a CUT realizou no último dia 15/2, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará, uma plenária de apoio a candidatura do bancário Vagner Freitas à presidência nacional da CUT. A eleição da nova direção da Central acontece durante o Congresso Nacional da CUT, a ser realizado entre 9 e 13 de julho.


Vários representantes de sindicatos ligados à CUT estiveram presentes ao evento e manifestaram seu apoio à candidatura de Vagner afirmando ser ela a mais aglutinadora das lutas dos trabalhadores do País. O presidente da CUT estadual, Jerônimo do Nascimento, ressaltou a importância de um nome que unifique as lutas de todos os trabalhadores e que dê sequência ao trabalho realizado por Artur Henrique.


Durante o evento, os sindicalistas falaram sobre as principais demandas de suas categorias e enfatizaram o apoio a candidatura de Vagner por representar o fortalecimento das lutas da Central. Ao final, Vagner falou sobre temas como o fator previdenciário e formação de dirigentes sindicais. Segundo ele, a CUT quer negociar uma regra de transição para o fator previdenciário e discutir a retomada do processo de negociação com o poder público. “Além disso, temos que nos mover buscando aquilo que nos unifica na construção de um País melhor para todos os trabalhadores”, disse.


Vagner Freitas ressaltou ainda algumas pautas importantes para a classe trabalhadora em 2012, tais como rediscutir o papel do Estado e a questão da organização sindical brasileira; intensificar a luta pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais; discutir alternativas para barrar o processo de terceirização que está sendo colocado no Brasil e que tem fragmentado o mercado de trabalho de forma muito grande; discutir a questão de gênero e contra a discriminação no mundo do trabalho; debater a questão do modelo brasileiro de desenvolvimento, com o fortalecimento da indústria nacional, dos setores de serviço e economia familiar, para que gere mais e melhores empregos, de qualidade, através de um grande processo de desenvolvimento nacional.


Sobre a importância da candidatura de um bancário a presidência da CUT nacional, Vagner Freitas falou que, a categoria bancária é mais uma categoria inserida na Central Única dos Trabalhadores. “Uma parte significativa do movimento sindical brasileiro reconhece a importância que os bancários têm na construção da CUT e acho importante que tenhamos a experiência de ter no comando da Central um companheiro que venha do ramo bancário. Um ramo que tem uma convenção coletiva de trabalho, que junta setor público e privado, que tem muita experiência no processo de mobilização, de negociação”. Ele ressalta, no entanto, que não podemos ver a CUT como uma questão corporativa, pois ela é de toda a classe trabalhadora. “O que nós queremos é, junto com os demais ramos da CUT, do setor público, privado, urbano, rural, ter uma alternativa de unidade para que as lutas efetuadas pela Central sejam maiores do que já fizemos nos últimos anos e para isso é preciso ter unidade”, finaliza.

QUAL A IMPORTÂNCIA DA CANDIDATURA DO BANCÁRIO VAGNER FREITAS PARA A PRESIDÊNCIA NACIONAL DA CUT



“Nesse momento, a Central Única dos Trabalhadores requer uma pessoa que possa unir a nossa Central em busca dos novos desafios. Acredito que Vagner Freitas está preparado para dar sequência ao trabalho que hoje é realizado pelo companheiro Artur Henrique, unindo de norte a sul deste País os diferentes ramos para potencializar ainda mais a nossa Central para os grandes embates na sociedade”
Jerônimo do Nascimento – presidente da CUT Ceará



“O ramo bancário está organizado nacionalmente. Dentro da CUT estão mais de 90% dos bancários do Brasil. Estamos na CUT desde a sua fundação e ajudamos a fundá-la. E ter um bancário a frente da CUT é importante, pois é um setor da economia que tem um peso grande. Apesar de os bancos não cumprirem o seu papel que é ser um propulsor do desenvolvimento econômico, e isso precisa ser mudado, mas os trabalhadores estão no Brasil inteiro com uma atuação cidadã, de solidariedade com as outras categorias, além de importantes atuações também nas CUT’s estaduais contribuindo desde a sua criação e nada mais justo que tenhamos um bancário à frente da CUT nacional”.
Juvândia Moreira Leite – presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo



“Acho que a importância se dá no sentido de unificar a classe trabalhadora para disputar o modelo de desenvolvimento do Brasil e que tenha capacidade de aglutinar as demandas dos diversos ramos de organização dos trabalhadores no mesmo projeto. Acredito que o Vagner Freitas consegue isso, como conseguiu no Ramo Financeiro. Na CUT percebemos que essa é a melhor proposta que temos para vencer esse desafio e ter uma vitória na classe trabalhadora”.
Carlos Eduardo Bezerra Marques – presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará