Lucratividade deve refletir reconhecimento do trabalho dos bancários

36

Os principais bancos privados do País divulgaram na semana passada os seus lucros do primeiro semestre deste ano. O Bradesco divulgou um lucro líquido de R$ 4,105 bilhões que representam um crescimento de 2,4% em relação ao registrado no mesmo período de 2007, que ficou em 4,007 bilhões. Já o Itaú apresentou um lucro de R$ 4,057 bilhões (crescimento de 6,28%) e o HSBC alcançou lucro de US$ 660 milhões no Brasil, 83% mais que em 2007.


Com relação ao Bradesco, entre as principais informações estão o crescimento das operações de crédito, R$ 181,602 bilhões, um aumento de 38,8% em relação ao mesmo período do ano anterior, e os resultados do Bradesco Seguros e Previdência, de R$ 1,469 bilhão, 36% do total. “É preciso enfatizar que o lucro do banco, que a cada ano que passa é maior, é resultado do esforço do bancário”, ressalta o diretor do Sindicato, Gabriel Motta. Isto demonstra que o Bradesco tem condições de atender as reivindicações dos bancários, como o Plano de Cargos e Salários e o auxílio educação. “Isto só demonstra que o banco não valoriza os funcionários como deveria. Investe muito em propaganda, ressalta a responsabilidade social e preocupação com o meio ambiente, mas a política de RH deixa muito a desejar”, concluiu Gabriel.


Já no Itaú, o lucro líquido no segundo trimestre deste ano foi de R$ 2,079 bilhões, o que representa um crescimento de 8,34% em relação ao mesmo período do ano anterior. O banco enviou comunicado ao mercado justificando a queda no lucro consolidado no segundo trimestre. Contudo, o trabalho exercido pelo bancário não se traduziu em dados negativos. As operações de crédito, finanças, avais e garantias chegaram a R$ 148,073 bilhões no final de junho, com expansão de 41,3%. “Esse é um bom indicativo para que os bancários possam aumentar a participação nos lucros e resultados do banco. Os números divulgados só comprovam que o Itaú tem plenas condições de atender as nossas reivindicações”, afirma o diretor do Sindicato, Ribamar Pacheco.


Com um lucro de 83%, os resultados do HSBC são reflexos da expansão do crédito e do financiamento de empresas. As reivindicações de melhor PLR, um melhor programa de remuneração variável e garantia de emprego mostram-se viáveis com os bons resultados da instituição financeira. “Esperamos que, com esse lucro absurdo, o trabalho de quem faz o banco crescer seja devidamente reconhecido, que essa renda seja distribuída. Esse resultado já prevê que será totalmente viável para o HSBC atender as reivindicações dos bancários”, diz Humberto Silva, diretor do Sindicato e funcionário do HSBC.