Lucro da Caixa cresce 12,5% e atinge R$ 1,3 bilhão no primeiro trimestre

8


A Caixa Econômica Federal apresentou lucro líquido de R$ 1,3 bilhão no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 12,5% em relação ao mesmo período do ano passado. O retorno sobre o patrimônio líquido médio foi de 22,4%, queda de 13 pontos porcentuais ante os 35,4% vistos em dezembro.


A carteira de crédito cresceu 43% de janeiro a março, alcançando estoque de R$ 390,6 bilhões, quando comparado ao mesmo intervalo de 2012. As receitas totais da Caixa atingiram R$ 21,5 bilhões, com evolução de 13,6%, enquanto as receitas com operações de crédito alcançaram R$ 9,9 bilhões, crescimento de 21,1%.


O banco, contudo, está revisando para baixo a expectativa de crescimento de sua carteira de crédito em 2013, prevendo expansão de 33% a 35% em 2013. A previsão feita pelo banco no final de 2012 era de crescimento de 37%. A revisão reflete uma retração no crédito à pessoa física. A Caixa, no entanto, espera ampliar sua participação no mercado de crédito dos atuais 16% para 18% em 2013, elevando o volume das concessões para as empresas.


A Caixa, entretanto, acredita na expansão do crédito para a pessoa jurídica e aposta nas concessões neste segmento para ampliar seu market share, por meio de empréstimos tomados para capital de giro e dos programas de infraestrutura. O segmento de infraestrutura é um dos principais focos de 2013 do banco. Dessa forma, a Caixa quer estabelecer uma parceria mais íntima com as companhias na estruturação de crédito corporativo, por meio de Project Finance e do mercado de capitais.


No primeiro trimestre, a Caixa totalizou 66,6 milhões de clientes, crescimento de 10% em um ano. Apenas no primeiro trimestre trouxemos 1,3 milhões de clientes novos e que o aumento foi impulsionado por vários produtos como crédito imobiliário, consignado (com desconto em folha) e outros. A Caixa encerrou março com índice de Basileia de 14,2%, superior em 1,4 ponto porcentual em relação ao mesmo período do ano passado. O mínimo exigido pelo Banco Central é de 11%. O Basileia é um indicador de capitalização e mede quanto o banco pode emprestar sem comprometer seu capital.


Sem contrapartidas – Marcos Saraiva, diretor do Sindicato dos Bancários e empregado da Caixa, destaca que, apesar dos bons resultados, o banco não oferece contrapartidas a uma série de problemas. “O lucro apresentado pelo banco prova, mais uma vez, a disposição dos empregados em construir um banco público voltado para a sociedade brasileira. Mas ao contrário disso, a gestão da Caixa não resolve as questões de segurança e saúde, por exemplo”, avalia.