Luta unificada garante aumento real no BB, Caixa e bancos privados

35

A mobilização conjunta dos funcionários dos bancos públicos e privados nas campanhas nacionais unificadas deste ano tem resultado em conquistas para toda a categoria bancária.


Um dos maiores exemplos do acerto dessa mobilização é o reajuste maior que vem sendo assegurado aos salários de ingresso da categoria. De agosto de 2010 a setembro de 2011, o reajuste no piso de ingresso do Banco do Brasil, que passou de R$ 1.416 para R$ 1.760, totalizou 24% (aumento real de 11%). Na Caixa Federal, no mesmo período, o valor do salário de ingresso saltou de R$ 1.452 para R$ 1.826, reajuste acumulado de 26% (aumento real de 12,3%).


O mesmo aconteceu com os funcionários dos bancos privados (acordo Fenaban) cujo piso estava em R$ 1.074, em agosto de 2010, e, após os 21 dias de greve deste ano, chega a setembro deste ano a R$ 1.400, com reajuste acumulado de 30% (16,3% de aumento real).


Aumentar o piso significa valorizar o trabalhador desde o início da carreira e acaba interferindo nos salários da empresa que, muitas vezes, têm de fazer ajustes em seus planos de cargos e salários. Isso sem contar que o reajuste de salário acima da inflação também auxilia no crescimento de toda economia.