Má vontade do BNB impede acordos e remete decisões para a Justiça

32


Todas as tentativas do Sindicato dos Bancários do Ceará visando a assinatura de acordo nos passivos trabalhistas da equiparação e das folgas têm esbarrado numa evidente má vontade da Diretoria Administrativa do BNB em apresentar alternativas para a superação dos impasses.


Exemplo mais que significativo da postura intransigente da Direção do BNB está na sucessiva rejeição das propostas apresentadas pelo Sindicato com o objetivo de liquidar a ação de equiparação. Foram quatro as tentativas do SEEB/CE de chegar a um acordo no referido processo, todas sofrendo ajustes para baixo, mas sem lograr êxito.


O último movimento feito pelo Sindicato consistiu em oficializar proposta autorizada por assembleia no valor de apenas R$ 170 milhões, bem distante dos valores calculados inicialmente pela Entidade Sindical.


Quanto à ação das folgas, o SEEB/CE dispôs-se a colocar em assembleia a proposta de indenização de 20 folgas, deixando em estoque outras 20, representando 65% do total de 60 folgas ganhas na Justiça. Quase um ano transcorreu desde que o Sindicato mostrou essa disposição, mas até agora a Diretoria do Banco não se manifestou oficialmente.


Essa postura da Direção do BNB tem obrigado o Sindicato a dar continuidade aos processos na justiça. Dia 15/4, ocorreu audiência de conciliação da ação de equiparação que deu em nada e a aposta é na pericia judicial, caminho que pode ser demorado, mas juntamente com a mobilização política, é a saída que restou ao SEEB/CE.


Com relação às folgas, está marcada audiência de conciliação para 29/4, às 9h, quando as partes serão instadas pela Justiça a chegarem a um acordo. Não havendo conciliação, prevê-se o mesmo caminho trilhado na ação de equiparação.