Manifesto “A Caixa Não Se Vende” ganha apoio dos parlamentares do Ceará

8


O manifesto “A Caixa não se vende”, lançado em Fortaleza durante audiência pública na Assembleia Legislativa, no dia 27/2, pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, ganhou reforço esta semana com o apoio dos parlamentares cearenses. Após mobilização, 20 deputados estaduais assinaram o manifesto.


O texto, assinado pelo Sindicato, foi lançado pela Contraf-CUT, Fenae, CUT, CTB, Intersindical e CSP-Conlutas e destaca que “só a Caixa 100% pública pode ser uma ferramenta para o Estado brasileiro atuar no mercado financeiro no sentido da diminuição dos juros e do spread bancário”. O texto mostra ainda alguns dos investimentos feitos pela Caixa no nosso Estado.


O manifesto diz ainda: “Vender o patrimônio do povo brasileiro para fazer superávit primário para pagar juros ao sistema financeiro é um filme que já vimos. Sabemos onde vai dar esse caminho equivocado: demissão, arrocho e, por fim, privatização, como ocorreu com os bancos estaduais no passado, sem que isso representasse uma solução duradoura para o Estado brasileiro”.


E finaliza: “A inclusão social, o acesso à moradia, o planejamento urbano, enfim, todos esses valores que conferem dignidade ao povo brasileiro e que são a razão de ser da Caixa são valores inegociáveis. A Caixa é do povo. A Caixa não se vende”.


“Essa é uma luta importante para o País e tem como referência a força do coletivo. Hoje temos unidade do movimento, que conta também com o apoio dos parlamentares de diversas tendências políticas. Isso fortalece a mobilização em torno da Caixa 100% pública”
Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará