Mesa de negociação com funcionários do BB apresenta avanços

29


Na reunião dia 19/1, em Brasília, as entidades representativas do funcionalismo do BB e aposentados cobraram do banco respostas sobre os projetos de ações estruturantes, uma vez que houve impasse no âmbito da Cassi e também sobre alguma solução para o caixa da Cassi, de forma a se evitar falta de pagamento dos serviços, que prejudique atendimento aos associados da Cassi.


As entidades afirmaram que houve avanços ao longo do processo negocial e que foram produzidos consensos que devem ser mantidos, como o princípio da solidariedade, o investimento no Modelo de Atenção Integral à Saúde através da Estratégia Saúde da Família, a garantia de atendimento para ativos, aposentados, dependentes e pensionistas e corresponsabilidade entre BB e associados.


O banco reconheceu avanços na negociação e que se reuniu com os diretores eleitos e técnicos da Cassi para discutir sobre os projetos, conforme acordado. Informou que vai dar sequência aos projetos, que fazem parte do programa de excelência no relacionamento: Aperfeiçoamento dos Mecanismos de Regulação, Gestão da Rede de Prestadores, Acesso Qualificado Através do Sistema Integrado de Saúde, Gestão Integrada de Informações de Estudos Estatísticos e Atuariais, e Aperfeiçoamento dos Processos Orientados ao Sistema de Saúde Cassi e Novos Planos.


Sobre o caixa financeiro da Cassi – O Banco do Brasil afirmou que enquanto os projetos estão na fase inicial, o banco está estudando várias alternativas para o reforço de caixa, e que não haverá falta de pagamento a nenhum prestador da Cassi, como não houve até agora. A comissão de negociação também cobrou ao banco que não corte benefícios ou suspenda programas de saúde ou de atendimento aos usuários dos planos da Cassi. O banco informou que apresentará soluções para reforço de caixa sem corte de benefícios. A próxima negociação ficou agendada para 25 de fevereiro.


Descredenciamentos na Cassi e em outros planos – A Comissão de Negociação pediu informações à Cassi sobre descredenciamento de prestadores na Cassi. Foi informado que os descredenciamentos têm origens diversas, desde a questão de mudanças no setor com desinteresse de prestadores de serviços em serem conveniados, poucos usuários e prestadores de serviços em determinados locais, até o vencimento de contratos, mas nunca por falta de pagamento.