Mesa de saúde da Fenaban termina sem avanços

25

A primeira rodada de negociações da mesa temática sobre saúde terminou sem qualquer avanço. Embora a primeira reunião tenha sido no dia 13/9, a Fenaban já tem as reivindicações dos bancários desde o dia 10 de agosto. Entretanto, os patrões justificaram que precisam estudar as cláusulas e não deram nenhuma resposta sobre os temas em pauta.

Foi entregue à Fenaban as cláusulas de saúde que constam na Minuta de Reivindicações entregue há mais de um mês. Não há nada neste documento que não seja de conhecimento da Fenaban. Mesmo assim, eles chegaram na reunião como se a pauta fosse apresentada pela primeira vez e disseram não ter condições de responder antes de analisar.

Durante a reunião, a Fenaban reafirmou sua proposta de criar um programa de readaptação profissional nos mesmos moldes do que foi apresentado no ano passado e que foi recusado pelos trabalhadores.

O projeto dos banqueiros tem aspectos prejudiciais aos direitos dos bancários, como a interferência dos bancos nos tratamentos médicos e no próprio afastamento do trabalhador. A Contraf-CUT reafirmou sua proposta de PRO (Programa de Reabilitação Ocupacional), que é parte integrante da Minuta e que somente pode ser aplicado ao funcionário após o término do afastamento.

Uma nova rodada de negociações foi marcada para o dia 27/9, quando a Fenaban responderá às reivindicações, conforme compromisso assumido na última reunião.