Mesa temática de Ascensão Profissional traz avanços nos processos seletivos

3


Após três rodadas de negociação, a Mesa de Ascensão Profissional entre a Contraf-CUT e o BB teve, também no dia 5/7, a sua última rodada programada, com avanços nos processos seletivos internos dentro do BB. Foram debatidos: ascensão, encarreiramento e, sobretudo, a efetividade, transparência e melhoria nos critérios dos processos seletivos.


Os representantes dos funcionários cobraram os feedbacks aos concorrentes em todas as seleções internas, inclusive feitas na própria unidade, para dar mais transparência e melhorar a qualificação dos não selecionados em futuras oportunidades de ascensão. A questão de gênero foi discutida, com ênfase na ascensão profissional das mulheres.


Propostas apresentadas a serem implementadas: prazo de 180 dias para segunda nomeação na mesma dependência, para evitar transferências para ascensão fora dos critérios; Mínimo de 2 dias úteis de inscrição para novas oportunidades, exceto reestruturação;  Publicidade de vagas e oportunidades SISBB e posteriormente WEB 2017/8; Propostas específicas para Pessoas com Deficiência – PCD, tais como flexibilidade de prazo e prioridade no sistema para movimentação desde que a necessidade seja referendada pelo SESMT; Mapeamento do perfil da população PCD; Processos seletivos com consultoria da Gepes para as maiores unidades; Ação afirmativa de gênero, aumento em 10% na proporcionalidade do número de inscritas para primeira investidura; Nova formulação de curso de entrevista de seleção.


“A negociação com o BB foi importante. Com relação à discussão de Saúde, o banco tem apresentado muitas informações que demonstram que as denúncias que o Sindicato faz são procedentes, e que o trabalho bancário tem adoecido física e emocionalmente os trabalhadores. Na mesa sobre Ascensão Profissional, conquistamos alguns avanços, trazendo um pouco mais de transparência e acesso dos bancários às comissões. Precisamos estar mobilizados e na luta para avançar na proteção da saúde e do trabalho no BB”
Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará


 


Mesa de Saúde analisa dados dos exames periódicos


Na negociação da Mesa Temática de Saúde entre a Contraf-CUT e o Banco do Brasil, dia 5/7, no debate sobre o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), os representantes do banco apresentaram dados dos exames periódicos de todos os funcionários e uma pesquisa sobre a realização do exame, respondida por 11 mil funcionários. A pesquisa abordou aspectos como acolhimento, tempo de espera, tempo de consulta, entre outros temas.


O banco apresentou os resultados da análise dos exames de 106.757 funcionários, mapeados por Estado e com detalhamento sobre os problemas de saúde detectados, bem como os níveis de satisfação no trabalho e estresse.


Os funcionários cobraram do BB dados por idade e tempo de banco, bem como os comunicados de acidente de trabalho e as informações de CAT aos Sindicatos. Os dados apresentados trazem informações sobre afastamentos, teste para avaliar o nível de stress (sintomas) e detalhes sobre tabagismo – que tem diminuído atividade física, colesterol, disfunção dos membros superiores e risco cardiovascular, detectados nos exames periódicos e laboratoriais apresentados.


Os bancários também cobraram melhorias quanto ao mobiliário de dependências, as divergências entre os aptos e não aptos pelo INSS e CASSI, e que o BB estude uma fórmula de proteção salarial aos que retornam de afastamentos, com base na Súmula 372 do TST.


O banco apresentou informações sobre o programa de reinserção de funcionários afastados e o tema será aprofundado em uma nova reunião.