Mesmo com lucro recorde, banco corta empregos

7


O Itaú obteve em 2015 o maior lucro anual da história de um banco registrado até hoje, de R$ 23,8 bilhões, aumento de 15,6% em relação ao resultado do ano anterior, superando seu próprio recorde de 2014. Apesar do excelente desempenho, o banco reduziu 2.711 postos de trabalho, contribuindo para o aumento do desemprego no País e para a piora das condições de trabalho dos bancários em suas unidades.


De acordo com a análise feita pelo Dieese, a holding encerrou o ano de 2015 com 83.481 empregados no País, com redução de 2.711 postos de trabalho em relação a 2014. Foram abertas 63 agências digitais e foram fechadas 120 agências físicas no Brasil.


Receitas com tarifas cobrem despesas em 164,7% – A receita com prestação de serviços mais a renda das tarifas bancárias apresentou crescimento de 11,1% no período, totalizando R$ 30,8 bilhões. As despesas de pessoal subiram 13,8%, atingindo R$ 18,7 bilhões, tendo como principal destaque o aumento de despesas com processos trabalhistas e desligamento de funcionários que variou 32,5% em relação a 2014, perfazendo um montante de R$ 1,9 bilhão. Em 2015, a cobertura da despesa de pessoal pelas receitas secundárias do banco foi de 164,7%


PLR de 2,2 salários – O Banco Itaú informou que vai pagar o percentual do teto da PLR de 2,2 salários e o valor teto da PLR Adicional será de R$ 4.043,58. Para a PCR (Participação Complementar de Resultado) haverá o pagamento da diferença de R$2.285,00 (adiantamento) do valor a ser pago R$ 2.395,00, em razão do ROE em 2015 ter sido de 23,9%. O banco ainda não havia definido a data de pagamento.


“Com esse lucro bilionário fica difícil o banco justificar porque continua com sua política de demissões, reduzindo postos de trabalhos extremamente necessários, nem explica o fechamento de agências”
Ribamar Pacheco, diretor do SEEB/CE e representante da Fetrafi/NE na COE/Itaú