Mesmo sob pressão, agência Osório de Paiva do BB continua paralisada

35

    

Na quarta-feira, dia 7/10, os dirigentes do Sindicato dos Bancários do Ceará e grevistas promoveram manifestação com muita animação na agência do Banco do Brasil da Avenida Osório de Paiva, com bandas de música e humoristas. No ato, os sindicalistas enfatizaram que, por culpa dos banqueiros, a categoria bancária entrou em greve por tempo indeterminado no dia 24 de setembro e hoje chega ao 15º dia.


Naquela agência, localizada no bairro Parangaba, o gerente é antigo conhecido das greves anteriores, ocasião em que sempre faz pressão para seus funcionários não aderirem ao movimento. Este ano, mesmo com pressão, os funcionários não entraram na agência, mas ficaram durante todo o dia na calçada, na porta do banco.


A agência ficou paralisada em face da greve, entretanto, o autoatendimento funcionou normalmente para atender a clientela. Segundo o diretor do SEEB/CE, Telmo Nunes, “a greve foi a única alternativa que restou para os trabalhadores”, explicando que durante semanas, os bancários buscaram o caminho do diálogo, mas os donos dos bancos vem se negando a dar aumento real para os salários e querem reduzir a participação nos lucros. “Apesar de cobrarem tarifas e juros exorbitantes e lucrarem bilhões, recusam-se também a contratar mais funcionários para atender a população e, pior, continuam a demitir, por isso existem as longas filas”, disse Telmo.


O bancário Lucius Spartakus, diretor do Sindicato e funcionário do BB, denunciou os bancos que também descumprem as normas de segurança bancária nas agências e colocam em risco a vida de bancários, vigilantes e clientes. Ele pediu o apoio da sociedade, “pois a nossa greve não tem por objetivo atrapalhar”, completou.