Mobilizações seguem pelas agências de Fortaleza

16

      

Na semana passada, os dirigentes do Sindicato dos Bancários do Ceará voltaram às unidades bancárias para mobilizar os companheiros visando a Campanha Nacional 2011. Foram visitados os corredores bancários da Parangaba, Montese e Aldeota, compreendendo as unidades da Caixa, Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Santander e Safra.


Durante as visitas, uma banda de música deu um tom alegre às caminhadas pelas unidades bancárias. Na Parangaba, atores da Trupe Tramas mostraram em que condições ficam os bancários com as péssimas condições de trabalho, estressados pelas metas abusivas que tem que cumprir e doentes pelo esforço repetitivo (LER/DORT).


Em todas as agências, os dirigentes sindicais enfatizaram a importância da participação dos bancários na Campanha, unindo-se ao Sindicato na luta pela contratação de mais trabalhadores; pelo fim das metas abusivas, que adoecem a categoria; fim do assédio moral; por mais segurança e reposição salarial digna.

BANCÁRIO É VÍTIMA – “O cliente olha para o bancário e acha que ele é o responsável pelo mau atendimento. Não é não. O bancário é tão vítima do banco como é o cliente, pois trabalha sem condições de saúde, sem segurança, com metas para cumprir. É preciso mais contratação para melhorar a qualidade do atendimento à população”, disse o presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra.


“A fórmula é simples: é pagar melhor o trabalhador, contratar mais gente e melhorar as condições de atendimento aos clientes”, destacou o diretor Gabriel Motta, ao denunciar a imoralidade da enorme fila do Bradesco da Parangaba. “Um banco que tanto lucra e não dá atenção à sua clientela”. “O sistema financeiro é o setor mais lucrativo do País, mas ele não ousa contratar mais funcionários ou melhorar a remuneração. Então acaba terceirizando e dilapidando o emprego bancário”, declarou o diretor Robério Ximenes.


As dificuldades do dia a dia do bancário na Caixa foi o destaque da fala do diretor Rochael Almeida. Segundo ele, o Sindicato dialoga com a sociedade e mostra que é preciso melhorar o atendimento à população, mas para isso é preciso mais bancários. “Mais bancários para a Caixa, mais Caixa para o Brasil”, finalizou.

FALTA SEGURANÇA – Para o diretor do SEEB/CE, Pedro Moreira, a questão da falta de segurança é crucial para os bancários, especialmente os do Interior. Lembrou que, “além da falta de condições de trabalho, ainda têm que conviver com a insegurança. É preciso mais investimento dos bancos nessa área. Esse é um dos pontos da nossa pauta de reivindicações da Campanha deste ano”, disse Pedro.


“Nossa campanha não é só pedir aumento de salário. Ela passa por vários itens, atrelando também o melhor atendimento e a segurança bancária. Por isso precisamos dialogar com a sociedade”, disse José Eduardo Marinho, também diretor do Sindicato. A diretora Carmen Araújo reforça: “nós não fazemos campanha apenas por índices salariais, mas por respeito”.

ADESÃO À GREVE – O diretor Bosco Mota destacou nas agências do BB a importância das centenas de novos funcionários se juntarem à luta dos bancários. “Queremos dar um recado para os recém-empossados no Banco do Brasil que têm medo de aderir à greve: vocês estão aqui todos os dias trabalhando e cumprindo as horas? Então, podem fazer greve, sim”, disse.


A programação das caminhadas visando a mobilização dos bancários prossegue nos próximos dias, visitando outros bairros e Região Metropolitana de Fortaleza.