Mudanças no BB reduzem importância da gestão de pessoas

12


Parece inacreditável, mas o Conselho de Administração do Banco do Brasil eliminou a vice-presidência de Gestão de Pessoas, que tem a função de cuidar da enorme legião de 112 mil funcionários. No seu lugar, o banco criou uma nova vice-presidência, a de Serviços, Infraestrutura e Operações. A área de gestão de pessoas é rebaixada de status e será agregada ao pilar de varejo, aumentando o tamanho da nova Vice-presidência de Distribuição, Varejo e Gestão de Pessoas.


“Os funcionários não têm o que comemorar. Extinguir a vice-presidência de pessoas mostra a falta de atenção e importância que a direção do banco dá a seus funcionários. Uma empresa com mais de 200 anos não pode relegar a relação com seus trabalhadores ao segundo plano”, afirma o diretor do Sindicato, José Eduardo Marinho.


Esta reestruturação é consequência das mudanças equivocadas que a direção do banco vem fazendo. O que interessa é produzir sob pressão, vender produtos, bater metas e mais metas, entre outras características que a área de varejo do banco aprofundou ao longo do tempo.