Muita luta para barrar a intransigência

23

Passado um mês da entrega da minuta de reivindicações, os trabalhadores do ramo financeiro não ouviram proposta alguma da Fenaban e não há nenhuma rodada de negociação marcada. Diante deste quadro, o Comando Nacional esteve reunido dia 12/9, para avaliar o andamento da Campanha Nacional 2006 e preparar as estratégias para a mobilização dos bancários.

Já aconteceram três rodadas de negociação e a Fenaban já mostrou que não está com a mínima vontade de atender às reivindicações da categoria. Agora é hora de intensificar a mobilização, com protestos e paralisações. Só com pressão, vamos avançar!

Para mobilizar a categoria no Estado, o Sindicato dos Bancários promoveu no dia 5/9, uma passeata pelo corredor bancário do Centro de Fortaleza, marcando o Dia Nacional de Luta, em protesto pela intransigência dos banqueiros e o desrespeito com os trabalhadores. O ato foi realizado em várias agências bancárias, com encenação de uma peça pela Trup Tramas de Teatro, em que foi ressaltado o papel do “banqueiro-bandido” e do “bancário-mocinho” nas negociações da Campanha Salarial. Nas agências visitadas, a peça de teatro chegou a arrancar aplausos e sorrisos dos clientes.

Durante a passeata pelo Centro, os diretores do Sindicato, acompanhados de bandinha de música, palhaços de perna-de-pau e muitas faixas e pirulitos ilustrando o lucro dos bancos, entraram nas agências convocando os trabalhadores do ramo financeiro para se engajarem nas atividades da campanha deste ano, bem como informando a sociedade quais as reivindicações da categoria.

Ainda, dentro das agências, eles alertaram sobre o descumprimento da lei das filas, a necessidade de contratações de mais funcionários, as doenças que acometem os trabalhadores do setor e, por fim, pediram o fim do assédio moral, uma das reivindicações da campanha nacional deste ano.

“A manifestação dos bancários foi um protesto pelo fato da quarta rodada de negociação prevista para esta semana, não ter sido confirmada pela Fenaban e gerou um impasse na Campanha Nacional 2006, já que os banqueiros ficaram de apresentar neste próximo encontro uma proposta econômica”, afirmou o presidente da FETEC/NE, Ribamar Pacheco.