Mulheres dizem NÃO à Reforma da Previdência do governo Temer

6


“Apesar de você, amanhã há de ser outro dia”. Os versos do brilhante Chico Buarque de Holanda deram a mensagem final do evento alusivo ao Dia Internacional da Mulher, Mulheres Contra a Reforma da Previdência, realizado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, no sábado, 4/3. Um momento lúdico e de resistência protagonizado por todos os presentes que fizeram questão de enfatizar que o governo golpista de Temer não os representa e que não tem respaldo para retirar direitos dos trabalhadores.


O evento teve como palestrante a deputada federal Erika Kokay (PT), que falou sobre as graves consequências que estão por vir se a reforma previdenciária proposta pelo governo golpista passar no Congresso. O encontro contou com a presença de inúmeras entidades, sindicatos e parlamentares, incluindo o deputado estadual Elmano Freitas e o senador José Pimentel, ambos também do PT.


Ela apontou ainda que o déficit da previdência propalado pelo atual governo não corresponde aos fatos já que a dívida oriunda de sonegação de grandes empresas é gigantesca. Além disso, muito do dinheiro que seria destinado à previdência acaba sendo desviado.  “Como está no texto da reforma proposta pelo governo, as pessoas, sobretudo às mais pobres, irão trabalhar a vida inteira e não irão se aposentar. Essa é uma negação do Estado à segurança social, aprofundando as diferenças de gênero, as diferenças regionais e também entre os trabalhadores rurais e urbanos”, afirmou a deputada.


57%

dos estados brasileiros tem expectativa de vida inferior a 65 anos

1/3

dos municípios brasileiros sobrevivem da renda dos beneficiários da Previdência

R$ 426 bi

é o valor da dívida de grandes empresas com a Previdência Combatendo-se a sonegação, gastos e desvios, o governo economizaria em 5 meses o que a PEC 287 economizaria em 10 anos


“A reforma da previdência do Temer vem aprofundar as diversas desigualdades que o país tem. Existe um mecanismo extremamente cruel de um governo que tem três objetivos: política de entreguismo do país, retirar direitos para pagar a conta do golpe e por fim, se proteger contra todas as denúncias de corrupção. Essa é a verdadeira face do governo Temer. Por isso, temos todos que nos levantar e gritar Fora Temer, nenhum direito a menos, não toque nos meus direitos!”

Erika Kokay, deputada federal (PT/DF)