Negociação não tem grandes avanços

55

Depois de três rodadas de negociação, o Banco do Brasil apresentou na sexta-feira, dia 28/9, uma proposta para a Contraf-CUT sobre alguns itens que garantem a isonomia entre novos e antigos funcionários. A proposta foi considerada insuficiente pelos representantes dos bancários, mas o BB garantiu que está estudando as reivindicações dos trabalhadores e que no momento adequado apresentará outras propostas.


“Cobramos mais agilidade e o BB afirmou que vai adequar o ritmo das negociações específicas à velocidade da mesa principal da Fenaban para chegarmos aos consensos finais no mesmo momento”, explicou Marcel Barros, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.


A proposta apresentada pelo banco para a isonomia universaliza os direitos de adiantamento salarial para cobrir a cobrança de consignações em atraso. Também prevê a devolução das vantagens por desistência de remoção parcelada em dez vezes. “Tivemos um avanço muito tímido nesta negociação. Esperamos que o BB apresente nas próximas rodadas outros avanços que permitam aos funcionários avaliar o conjunto de propostas”, conclui Marcel.


A direção do BB, no entanto, frustrou as expectativas dos trabalhadores ao não apresentar proposta de Plano de Cargos e Salários (PCS) e para a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Nova rodada ainda não foi agendada.