Negociação sobre acordo salarial está agendada para o dia 28/3, no Passaré

57

Após dois adiamentos sucessivos patrocinados pela direção do BNB, a próxima negociação entre os representantes dos funcionários do BNB e a direção da instituição está agendada para a próxima quarta-feira, dia 28/3. A suspensão pelo banco de duas reuniões consecutivas inviabilizou a antecipação da PLR para a folha de março. A antecipação foi solicitada há mais de dez dias pela Contraf-CUT/CNFBNB, mas a presidência e Superintendência de Desenvolvimento Humano (SDH) do banco sequer responderam ao requerimento.

“Isso é um desrespeito ao funcionalismo que precisa tomar uma atitude à altura desse descaso”, declarou o coordenador da CNFBNB, Tomaz de Aquino.

Adicional da PLR – A Convenção Coletiva da categoria prevê que os bancos pagarão, independente dos valores estabelecidos na cláusula básica da PLR da Convenção, o adicional de PLR que corresponde a 8% da variação em valor absoluto do crescimento do lucro líquido do exercício de 2006, em relação ao lucro líquido de 2005, dividido entre seus funcionários em parcelas iguais, com limite individual de R$ 1.500,00, garantindo o piso de R$ 1.000,00 se o lucro líquido de 2006 for pelo menos 15% maior do que o lucro líquido de 2005. Segundo as demonstrações contábeis do BNB, o lucro líquido do exercício de 2006 foi de R$ 202,7 milhões, montante 28,8% superior ao apresentado em 2005.

É importante ressaltar que outros bancos federais como Banco do Brasil e Caixa Econômica, mesmo sem prever em seus acordos específicos, o adicional da PLR, pagaram aos seus funcionários valores superiores aos R$ 1.500,00 estipulados como teto pela Convenção Coletiva da categoria.