Negociações específicas não avançam e frustram empregados

32

A Caixa Econômica Federal, durante negociação realizada na quarta-feira, 21/9, com o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, apresentou uma proposta insatisfatória às reivindicações dos empregados. Contrariando a expectativa dos trabalhadores, não houve avanços nas questões específicas debatidas e deliberadas pelos trabalhadores durante o 27º Conecef, como isonomia, contratação de pessoal e questões relativas à Funcef como a incorporação do REB ao novo plano, o fim da discriminação dos trabalhadores do REG/Replan não saldado.


O Comando Nacional, assessorado pela Comissão Executiva de Empregados (CEE/Caixa), voltou a cobrar solução para estes problemas. O banco afirmou que seguirá a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos bancários, negociada pelo Comando Nacional na mesa geral com a Fenaban.


Para Plínio Pavão, secretário de Saúde do Trabalhador da Contraf-CUT, que acompanha as negociações com a empresa, o banco precisa apresentar uma proposta melhor. “Esperamos muito mais da negociação específica com a Caixa. Há itens importantes para os empregados em discussão e é necessário avançar mais para que, juntamente com a negociação com a Fenaban, tenhamos um bom acordo para os empregados”, sustenta.


Segundo o coordenador da CEE/Caixa, Jair Pedro Ferreira, a melhor resposta ao posicionamento da empresa é a mobilização dos trabalhadores para forçar a Caixa a avançar nas negociações e contemplar às reivindicações dos trabalhadores. O Comando Nacional orientou os trabalhadores a participarem das assembleias realizadas na quinta-feira, 22/9, para rejeitar as propostas dos bancos e aprovar o indicativo de greve para 27/9.

OUTROS PONTOS DA NEGOCIAÇÃO:

PLR Social – Os representantes dos empregados cobraram da Caixa a manutenção da PLR Social, conquista obtida na campanha salarial do ano passado. A empresa informou que está fazendo estudos sobre esta questão.

Saúde Caixa – O Comando Nacional dos Bancários reivindicou ainda melhoria no atendimento do plano de saúde. O coordenador da CEE/Caixa disse que é preciso apresentar solução para o superávit do Saúde Caixa, utilizando os recursos para melhorar a qualidade da assistência médica dos empregados. A empresa ficou de levar propostas a estas reivindicações para serem debatidas no GT Saúde do Trabalhador.

Promoção por Mérito – A Caixa garantiu a realização da promoção em 2012 e a manutenção da comissão paritária para definição dos critérios.

Cipas – A Caixa concordou com a participação das entidades sindicais nos cursos de Cipa e na elaboração das SIPATs (Semanas Internas de Prevenção de Acidentes de Trabalho).