Negociações não avançam e bancos devem apresentar proposta global no dia 19/9

5


No encerramento da quarta rodada de negociação da Campanha 2014 com a Fenaban, o Comando Nacional dos Bancários defendeu no dia 11/9, a reivindicação de PLR equivalente a três salários mais parcela adicional de R$ 6.247,26, o que significa uma mudança na fórmula de cálculo do modelo atual, que simplifica e recompensa de forma mais justa para os trabalhadores o aumento dos lucros dos bancos. A 5ª rodada de negociação será dia 16/9.


A exemplo do que ocorreu nas rodadas anteriores, os negociadores da Fenaban disseram que vão discutir o tema com os presidentes dos bancos e o incluirão na proposta global que apresentarão ao Comando na próxima semana, provavelmente na sexta-feira, 19/9.


Antes disso, serão realizadas mais duas rodadas de negociação. No dia 16/9, os bancos apresentarão o resultado do II Censo da Diversidade, realizado entre 17 de março e 9 de maio deste ano, seguido da discussão dos dados solicitados pela Contraf-CUT sobre os afastamentos de bancários no trabalho. E no dia 17/9, serão retomados os debates dos temas pendentes sobre saúde e condições de trabalho, emprego, segurança bancária e igualdade de oportunidades.


Participação mais justa nos lucros – Na mesa de negociação do dia 11/9, o Comando Nacional defendeu a reivindicação de um novo modelo de PLR (três salários de cada bancário mais valor fixo de R$ 6.247,26) por considerar que a atual fórmula é muito complexa, pouco transparente e não remunera os bancários de forma adequada. A PLR foi uma conquista da campanha de 1995.


O lucro dos bancos cresceu tanto que o modelo atual da PLR não acompanhou a distribuição desse lucro. O crescimento da PLR dos caixas, por exemplo, foi em média de 338% entre 1995 e 2013, enquanto o lucro dos bancos aumentou 1.067% nesse período. É preciso aumentar o percentual a ser distribuído e indexar a PLR à evolução do lucro. O Comando propôs ainda que o pagamento da PLR não deve ser compensado com os programas próprios de remuneração variável dos bancos.


Os negociadores da Fenaban defenderam o atual modelo de PLR, mas disseram que a reivindicação dos bancários será levada aos presidentes dos bancos e trarão a resposta junto com a proposta global que apresentarão ao Comando, provavelmente na sexta-feira, dia 19/9.


“A quarta rodada continuou sem proposta dos bancos, que afirmaram que iriam se reunir com os presidentes dos bancos para apresentar uma proposta global. Cabe ao movimento sindical com os trabalhadores bancários insistir na negociação e manter forte mobilização, caso a proposta seja rebaixada, e pelo 12º ano consecutivo tenhamos que fazer a greve para nos defender”, convoca Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará.