Negociações sobre Cassi não avançam

63

Terminou sem avanço a negociação entre a Comissão de Empresa dos Funcionários e o Banco do Brasil, ocorrida na quinta, 24/8, em São Paulo. As discussões centradas exclusivamente nas questões da Cassi continuam em impasse. A nova rodada de negociações foi agendada para a semana que vem, no dia 1º de setembro.

Algumas propostas avançaram, mas não são capazes de resolver os problemas estruturais da Cassi. O Banco do Brasil, por exemplo, também aumentou a proposta de investimento de R$ 120 milhões para R$ 200 milhões, que seriam utilizados em serviços próprios. Este aumento foi considerado positivo pela Contraf, apesar de não atingir o valor que o banco deve à Cassi. Além disso, o Banco do Brasil concordou com as alterações estatutárias propostas pelos bancários, mas quer que as eleições da Cassi sejam realizadas de quatro em quatro anos e não a cada dois anos como é hoje.

A diretoria do banco também propôs a redução da co-participação de 20% para 15%, mas os bancários não concordam, já que lutam para que não haja co-participação alguma. O BB também aceita assumir os dependentes indiretos, mas só daqui para frente. Devido ao déficit, não assumido pelo banco, a Comissão não aceitou a proposta.

O Banco do Brasil concorda em discutir a implantação do plano odontológico, mas a direção que negociar na mesa específica. Antes da nova rodada de negociações, os bancários e o BB agendaram um encontro no dia 31 para discutir as reivindicações específicas.