No Ceará, agências do BB debatem assédio moral

31

Reuniões em várias agências do Banco do Brasil estão acontecendo no Ceará. Os diretores do Sindicato dos Bancários debatem com os funcionários do BB o assédio moral. A última reunião aconteceu no BB Aerolândia, em Fortaleza, dia 28/6. Além de assistirem a um vídeo sobre o assunto, os empregados receberam informações sobre a pesquisa sobre tema, na categoria bancária, realizada pelo Sindicato dos Bancários de Pernambuco em parceria com a Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e Fundo para Igualdade de Gênero (FIG).

A agenda de encontros segue durante todo o mês de julho. Debate semelhante já foi realizado no BB de Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza.

Na ocasião, o diretor Leirton Leite lembrou que o Sindicato vai continuar cobrando do Banco do Brasil o cumprimento da cláusula 50, do Acordo Coletivo de 2005, que prevê que “o banco incluirá o tema assédio moral nos programas de cursos de gerenciamento de pessoal e relacionamento interpessoal”.

No dia 12 de julho, a pesquisa será lançada nacionalmente, em Brasília. A expectativa é de que, com os dados em mãos, os banqueiros se sensibilizem para incluir o combate ao assédio como uma cláusula do Acordo Coletivo. A pesquisa foi realizada pela assessora de Saúde do Sindicato dos Bancários do Ceará, Regina Maciel, pesquisadora e doutora em Psicologia Organizacional, com uma amostra de 2.609 bancários de 25 estados e revela: 40% dos trabalhadores de bancos públicos e privados já passaram por situações constrangedoras no trabalho.