Número de agências bancárias não atende a demanda de usuários

17

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que o número de instituições bancárias caiu nos últimos anos. Ao todo, 505 municípios, ou seja, quase 10% do total, não têm agência bancária. A ausência é percebida também nas periferias de grandes cidades. Quem precisa de um serviço bancário tem de pegar a estrada para os grandes centros.


Com pouco crédito no mercado, em parte devido a pouca concorrência, os bancos determinam quanto querem cobrar pelos empréstimos. E com isso, o consumidor vira refém. No Brasil, de acordo com o Ipea, os juros são quase dez vezes mais altos do que os cobrados no exterior. No ano passado, a taxa média no Brasil era de 60,4% ao ano. Nos países onde a moeda é o euro, a taxa é de 6,38%.


No Brasil, filiais de bancos estrangeiros têm taxas muito maiores do que aquelas que são cobradas nos países de origem. Ainda de acordo com o estudo, trata-se de um reflexo da falta de concorrência. O número de instituições financeiras no País caiu mais de 30% nos últimos 11 anos.


Entre 1990 e 2007 foram fechadas 1.688 agências no País. De 19.996, o número caiu 8,4%, ficando em 18.308 estabelecimentos. Em decorrência disto, houve maior concentração bancária e aumento da população por agência. Até a década de 1980, havia para cada agência, em média, cerca de oito mil brasileiros. A partir de 1990, a relação de agência por brasileiro subiu para mais de 10 mil pessoas. Em 2007, o Brasil tinha menos agência por população que em 1980.


A distribuição das agências bancárias entre o conjunto da população brasileira, segundo o Ipea, encontra-se muito diferenciada por região geográfica. Os estados com menor presença de agências no conjunto da população são: Maranhão, Piauí, Alagoas, Pará e Ceará, que se situam no Norte e no Nordeste do País. Nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, observa-se a importante presença dos bancos públicos, que respondem por quase 1/3 do total das agências bancárias.

CEARÁ – Ainda de acordo com o estudo, no Ceará, existe uma agência bancária para cada 21.864 habitantes. Além disso, o usuário cearense só encontra uma unidade de atendimento a cada 395 km² percorridos. Os dados são referentes a 2006. O levantamento mostra que o número de agências bancárias no Brasil andou na contramão da expansão do sistema financeiro. Segundo a Rede Cearense de Bancos Comunitários, dos 185 municípios do Estado, cerca de 22%, ou seja, 40 cidades, não possuem agência bancária.