O Brasil e seu ethos guerreiro em 60 imagens

35


Na Galeria da Caixa Cultural, está aberta ao público a exposição “Direitos Humanos – Imagens do Brasil”. Composta por 60 imagens e pinturas de diversos fotógrafos e artistas plásticos, a mostra reconta as conquistas cívicas e os avanços da sociedade brasileira.


Inaugurada em Belo Horizonte, no dia internacional da luta pelos Direitos Humanos, 10 de dezembro de 2010, a mostra é baseada em um livro homônimo, lançado na mesma ocasião, com apresentação do então Ministro da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Vannuchi. Tem curadoria de Denise Carvalho e textos do jornalista Gilberto Maringoni.


Aspectos – O acervo é conduzido por três aspectos: colonização portuguesa, escravidão e ditadura. Coube a Denise Carvalho transpor a obra homônima – com 150 imagens – para o formato de exposição, reduzindo a quantidade de registros, mas mantendo a cronologia e o sentido. “A mostra fala do Brasil do ponto de vista da construção da história civilizatória. Abordamos não só as vitórias na conquista pelos Direitos Humanos, mas também a parte ruim, das dizimações, prisões, da repressão. E tudo isso em imagens, então é bastante comovente”, afirma Denise.


Apresenta-se, portanto, desde a conquista do território brasileiro por parte dos portugueses, a dominação e o extermínio de inúmeros povos indígenas; a escravidão negra, com a provável chegada das primeiras levas de africanos, em 1502; até a total libertação da escravatura, com destaque para a história marcante do Quilombo dos Palmares. Nela, pode-se também revisitar o massacre de Canudos, a Revolta da Vacina e da Chibata, e as lutas por melhores condições de trabalho, as primeiras greves, o tenentismo, a Revolução de Trinta e outros importantes capítulos da história cívica nacional recente, como a “Lei Maria da Penha”.


Obras – Entre as imagens, destaca-se “Tiradentes Supliciado”, de Pedro Américo, que revela o fim dado à Inconfidência Mineira, movimento inspirado pelo iluminismo francês. A reprodução de “Zumbi”, de Antônio Parreiras, que simboliza o Quilombo dos Palmares, expressão do inconformismo dos escravos. E a ilustração “O Milagre”, que retrata a expansão econômica dos anos 1970, comandada pelo presidente Médici, no período que registrou a fase mais dura e repressiva da ditadura militar.


Serviço:
Exposição Direitos Humanos – Imagens do Brasil

De 17 de abril a 12 de maio de 2013 (de terça-feira a domingo)

Das 10h às 20h. Galeria da Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287)

Gratuito. Contato: (85) 3453.2770.