O vermelho da CUT na 5ª Marcha da Classe Trabalhadora

27

A classe trabalhadora se unifica e vai pelo quinto ano seguido rumo a Brasília eivindicar medidas de combate à crise, como a redução dos juros e o aumento dos investimentos nas áreas sociais e de infra-estrutura, garantindo emprego, salário e direitos.

No dia 03 de dezembro de 2008, a CUT estará junto com outras cinco centrais sindicais ocupando a Esplanada dos Ministérios. A 5ª Marcha Nacional a Brasília terá como tema “Desenvolvimento e valorização do trabalho”, com concentração prevista para o Estádio Mané Garrincha. As centrais sindicais internacionais serão convidadas para se somar ao ato.

A maior central sindical do País e da América Latina – CUT tem a responsabilidade de mobilizar os sindicatos e as oposições cutistas para levarem o maior número possível de trabalhadoras e trabalhadores para a marcha, reafirmando nossa força e a história de lutas da Central nestes 25 anos de existência.


Temos que radicalizar na luta, porque neste momento de crise financeira no mundo se acirra a disputa entre dois projetos antagônicos no Brasil. Precisamos garantir os direitos dos trabalhadores e avançar nas conquistas devemos estar unidos e mobilizados contra os empresários que querem aumentar o lucro do capital, através de mais exploração da classe trabalhadora.


Queremos a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução de salário. Essa medida, além de garantir melhor qualidade de vida para todos, ajudará a diminuir o desemprego e redistribuir melhor a riqueza socialmente produzida.


A distribuição mais igualitária da renda é a principal tarefa colocada para a classe trabalhadora na atual conjuntura. Ao contrário dos derrotistas, a CUT quer avançar já na construção de um Brasil mais justo e solidário. Vamos defender a manutenção e o aprofundamento da política de valorização do salário mínimo do atual governo e lutar também para acabar com o fator previdenciário, criado pelo governo do PSDB, que tanto atrapalha a aposentadoria dos trabalhadores, e pela correção da tabela de imposto de renda.


As mulheres e os jovens são maioria no mercado informal e nos trabalhos precários. A defesa da igualdade de oportunidade passa também pela defesa do trabalho decente para todas e todos. A 5ª marcha, por iniciativa da CUT, terá uma ala representando a luta das mulheres pelo “salário igual para trabalho igual” mostrando que a desigualdade de gênero é mais uma forma de exploração da classe trabalhadora.


Sabemos que para obter vitórias em todas estas pautas do conjunto da classe trabalhadora será fundamental que o governo se comprometa com um outro modelo de desenvolvimento que seja de fato econômico e social. Logo, continuamos defendendo que são necessárias, e urgentes, mudanças na política econômica.


Nossa tarefa é grande, e só a classe trabalhadora unida, mobilizada, em movimento nas ruas, será capaz de conquistar mais essas vitórias! Vamos todos juntos rumo a Brasília, no dia 3 de dezembro, lutar para continuar mudando o Brasil e a vida dos trabalhadores brasileiros.

Neuza Luzia Pinto – Presidente da CUT-RJ